A teoria do significado do sofrimento de Scheler suscita uma reflexão sobre como os seres humanos respondem às experiências de dor.

Faz sentido encontrar um propósito para isso ou é evitar o sofrimento tanto quanto possível?
Teoria de Scheler do significado do sofrimento

A teoria do significado do sofrimento de Scheler apresenta semelhanças importantes com a de Viktor Frankl, que também abordou esse assunto em profundidade. Ambos os pensadores focaram sua atenção nas experiências dolorosas, perguntando-se se isso tinha algum significado.

No Ocidente, estabeleceu-se a ideia de que o sofrimento exige estratégias de evitação , sejam quais forem as circunstâncias. Mesmo assim, ninguém pode evitar eternamente experiências desse tipo, por mais que tente evitá-las ou negá-las.

O resultado do sofrimento é uma atitude negacionista diante de uma realidade que tende a se impor de forma inevitável.

Pensadores, como Scheler e Viktor Frankl, tentaram ir mais longe. Embora o sofrimento não seja agradável, é uma experiência acessível e significativa na perspectiva certa. É isso que levanta a teoria do sentimento de sofrimento de Scheler, que discutiremos, em termos gerais, a seguir.

“As coisas são percebidas, os conceitos são pensados, os valores são sentidos.” -Max Scheler-

A teoria do significado do sofrimento: em que consiste?

A teoria do significado do sofrimento de Scheler, como outras semelhantes, essencialmente levanta a ideia de que a experiência da dor deve ter um propósito. Acontece por uma razão e aponta para algum horizonte. No quadro da ética, cada indivíduo tem a tarefa de encontrar a razão de seu próprio sofrimento.

Scheler ressalta que, diante do sofrimento, é aconselhável enfrentar dois desafios: um é descobrir seu significado profundo; a outra é recompor-se, calar-se, refletir, contemplar e meditar.

Em sua opinião, isso é o que leva ao domínio do espírito e torna a pessoa “calma, vigorosa, livre e pronta para a ação”.

O filósofo alemão considera que essa seria uma das características que nos diferenciam dos animais. Estes últimos agem de acordo com objetivos puramente biológicos.

Por outro lado, o comportamento do ser humano tem um senso de perfeição e, portanto, também atua de acordo com sua espiritualidade .

A teoria do significado do sofrimento de Scheler é considerada uma abordagem que coincide com a visão cristã. Nisso, o sofrimento é também um caminho de redenção que se alcança por meio do sacrifício. Dessa forma, mesmo nos piores momentos, esse sofrer seria positivo, pois faz parte de um processo positivo de evolução.

A visão positiva do sofrimento

Na teoria do significado do sofrimento de Scheler, esse sentimento tem diferentes interpretações, dependendo do nível de profundidade em que realizamos a análise.

Para este filósofo, existem três níveis possíveis: biológico, psicológico e espiritual. Cada um deles corresponde a três condições de ser. O biológico, para o organismo; o psicológico para o “eu”; e o espiritual para “a pessoa”.

Nessa abordagem, o sentido do sofrer só pode ser encontrado quando o ser humano está localizado em sua dimensão de pessoa, que corresponde à espiritual.

Em um nível psicológico ou orgânico, o ato de sofrer não tem significado real, pois implica um sofrimento passivo. A dimensão da pessoa, por outro lado, possibilita que uma ação aconteça diante dessa dor.

Scheler destacou que o sofrimento na pessoa equivale ao sacrifício e, nesse sentido, pode ser positivo.

A palavra “sacrifício” refere-se a uma ação que é realizada deliberadamente e causa dor, mas com o objetivo de obter ou resultar em um valor superior.

Desisto de algo que aprecio para alcançar outro marco que valorizo ​​mais.

Como se vê, na teoria de Scheler sobre o significado do sofrimento, a pessoa não sofre a dor, mas a dirige de acordo com um objetivo.

O significado do sofrer

A questão que emerge de todas essas abordagens é: finalmente, por que sofrer?

Retomando as ideias centrais da teoria de Scheler sobre o significado do sofrimento, pode-se dizer que o sofrer só tem razão de ser se for abordado a partir da ideia de desenvolvimento espiritual.

Nesse sofrimento há em si uma fonte de consolo: sofre-se para obter algo superior.

Portanto, o sofrimento também é um ato livre e responsável.

Como nas abordagens de Viktor Frankl, o condicionamento que causa a dor não é decisivo. Em vez disso, constituem circunstâncias contra as quais uma pessoa pode assumir uma atitude ou postura existencial.

Isso só faz sentido no quadro espiritual, uma vez que do ponto de vista biológico ou psicológico não tem razão de ser.

A teoria de Scheler sobre o significado do sofrimento, em última análise, indica que cada ser humano pode encontrar significado nesta experiência se a interpretar a partir do espiritual.

Nessa área, é possível sustentar e evitar a dor, pois se entende que isso implica um mérito, uma elevação, um passo à frente. Desse ponto de vista, é até um passo em direção à realização.

*DA REDAÇÃO RH. Com informações LLM.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia