Como todo mundo faz…

Gabriela Mondelo

“Seria mais fácil fazer como todo mundo faz”

Quando me formei, os professores homenageados deixaram aos seus alunos uma música como mensagem. E hoje, depois quase dois anos, sua letra tem um significado muito importante para mim:

“Seria mais fácil fazer como todo mundo faz. O caminho mais curto, produto que rende mais.

Seria mais fácil fazer como todo mundo faz. Um tiro certeiro, modelo que vende mais. Mas nós dançamos no silêncio. Choramos no carnaval. Não vemos graça nas gracinhas da TV. Morremos de rir no horário eleitoral…”


Existe sempre um caminho mais fácil. E existe o outro caminho.

Aquele caminho no qual optamos ser exatamente o que somos. Quando verdadeiramente nos permitirmos ser “nós mesmos”.

Esse caminho é quando nos permitimos perseguir a carreira que desejamos, mesmo que não seja a mais “segura”. Quando nos permitimos pensar de forma coerente com nossas próprias crenças – mesmo que sejam diferentes daquelas que fomos ensinados.

Quando nos permitimos perseguir o que quer que seja que faz nosso coração vibrar. Apesar do julgamento e das críticas que, pode ter certeza, em algum momento vão aparecer.

Mas, mesmo assim, podemos nos livrar das amarras – que podem ser externas ou internas, manifestando-se através do medo.

Medo de mudar, medo de discordar, medo de falar “eu penso diferente”, ou até mesmo “eu amo diferente”. Medo de que se nos conectarmos com a nossa essência, podemos nos tornar muito diferentes das pessoas que estão ao nosso redor.
Quando, na verdade, perceberíamos que o maior tesouro que possuímos é o fato de sermos extremamente diferentes de todos. Cada ser humano, na sua forma única, tem o seu dom e sua beleza.

Mas abraçar esse caminho não é fácil.

Em muitos momentos, eu me questiono: “por que é que eu não faço de outra forma?” Como diz na música, eu poderia escolher o “produto que rende mais”.

E nesses momentos difíceis, tenho essa música para me lembrar – que sim, seria mais fácil ir pelo outro caminho e “fazer como todo mundo faz”. Mas que para mim, nunca bastou “render”. Sempre precisei ver sentido e significado em tudo que fiz. Qualidade sempre importou mais que quantidade.

Foi essa mensagem poderosa que recebi na minha formatura e que tem guiado minhas escolhas – de que nosso verdadeiro dom vem de nos permitirmos ouvir nossa voz interior. Mesmo quando não sabemos bem o por que de algo, e chamamos de intuição.

São os pequenos sinais que nos apontam o caminho que não é fácil – mas que é repleto de satisfação. E essa satisfação tão forte vem de ousar trilhar o caminho mais difícil. De desafiar o senso comum. E de lembrar que não estamos sozinhos nessa jornada. Tem muita gente por aí pensando diferente, fazendo diferente e desafiando o ordinário.

Qual caminho você está escolhendo?

Letra completa:

Seria mais fácil fazer como todo mundo faz. O caminho mais curto, produto que rende mais.

Seria mais fácil fazer como todo mundo faz. Um tiro certeiro, modelo que vende mais.

Mas nós dançamos no silêncio, choramos no carnaval. Não vemos graça nas gracinhas da TV.

Morremos de rir no horário eleitoral. Seria mais fácil fazer como todo mundo faz. Sem sair do sofá, deixar a Ferrari para trás. Seria mais fácil, como todo mundo faz. O milésimo gol sentado na mesa de um bar. Mas nós vibramos em outra frequência. Sabemos que não é bem assim. Se fosse fácil achar o caminho das pedras. Tantas pedras no caminho não seriam ruim.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS




Gabriela Mondelo
"Por acreditar no potencial das pessoas em evoluir e em se renovar, além de trabalhar como psicóloga clínica, escreve textos sobre auto conhecimento e desenvolvimento pessoal"