Como surge uma paixão: cartas de baralho

Resiliência Humana

Todos nós já jogamos cartas em algum momento de nossas vidas. É provavelmente o entretenimento mais antigo que existe, antes que a tecnologia deixasse qualquer outro tipo de hobby à nossa disposição. No entanto, sabemos realmente de onde vêm as cartas? A origem destes ainda não foi determinada com datas e locais exatos, apesar do grande esforço de todos os curiosos e pesquisadores que tentaram. E é que, ao contrário de hoje, que a Internet nos deixa tudo na palma da mão, naquela época verificar os diferentes acontecimentos históricos não era tão fácil. Poderíamos começar pela Europa, onde se acredita que tenham mais de 600 anos, pois os primeiros testemunhos remetem-nos ao final do século XIV. Também se acredita que durante o século 15 começou a se expandir rapidamente. O que é surpreendente é que não se acredita nisso pelo uso dos próprias cartas, mas sim pelo não uso, visto que nessa época datam muitas proibições de dita diversão.

A rápida expanção

Como mencionamos antes, não temos como afirmar que essa expansão que contaremos a seguir seja precisa e verdadeira. São apenas teorias feitas com o passar do tempo que, à medida que outras surgem, são confirmadas ou negadas.

Acredita-se que as cartas cheguem à Europa do Oriente. Mas não como o objeto que hoje conhecemos de cor, mas sim a partir da compilação de descrições de histórias e textos fornecidos pelos diferentes viajantes que percorreram essas rotas. É por isso que o que realmente se expandiu foi uma “ideia” e não uma carta em si, dando origem à criação de diversos “baralhos nacionais”, feitos à medida de todas essas ideias que se juntavam em diferentes pontos de Europa.

E agora tem as rotas

O que podemos elaborar um pouco mais é de que forma as cartas chegaram, antes de se estabelecerem na Europa e se expandir rapidamente.

Os ciganos foram mencionados, por exemplo, com suas cartas premonitórias. Isso, como já explicamos antes sobre as teorias que se geram e depois se desintegram, é mais uma vez que, quando as grandes migrações ciganas chegaram ao Ocidente, as cartas eram bem conhecidas naquela época na Europa.

O mesmo aconteceu com os árabes. Essa invenção também havia sido atribuída a eles, mas depois soubemos que não porque os árabes não tinham letras, e dentro de sua religião não era permitida a reprodução de imagens antropomórficas.

O único dado claro e consistente de que se pode falar é que sua grande expansão começou na Itália. Ou, pelo menos, os modelos e testemunhos mais antigos datam deste país. Acredita-se que daqui se dirigiram diretamente para o sul da França, chegando assim à Catalunha e ao resto da Península Ibérica.

Da França as cartas foram para a Inglaterra, onde o modelo francês tomaria a forma do que hoje se conhece como baralho inglês, com o qual se pode jogar poker, baccarat ou o jogo 21. E, esta é uma grande curiosidade neste história e boca a boca que tanto funcionaram para algumas coisas, anos atrás quando a tecnologia ainda não existia: Exceto no caso deste último baralho, que foi fisicamente transportado da França para a Inglaterra, parece que as cartas foram transmitidas por notícias e descrições de viajantes que cruzam a Europa. Isso explica o surgimento de vários modelos diferentes ao redor do mundo.

Foto por Yanina em Pexels
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia