COMO RECUPERAR MINHA AUTOESTIMA DEPOIS DO FIM DE UM RELACIONAMENTO DESASTROSO

Cris Souza Fontes

Esse artigo é para te ajudar a recuperar a autoestima após um rompimento desastroso.

Coisa boa é dar receitas, né? E é normal que, sempre antes de falarmos de coisas boas, a gente dê uma passada pela situação difícil em que se vive, pelo drama a ser resolvido ou como deseja chamar a coisa toda que está acontecendo agora na sua vida!

Digo desastroso, porque relacionamentos que possuem términos pacíficos, amigáveis, não causam danos e já os términos difíceis por uma infinidade de motivos, deixam sim, muitas sequelas e, principalmente, na nossa autoestima. Então, é a ela que devemos dar atenção aqui, ok?

Relacionamento acabou. Ok. Foi um fim muito complicado, do jeito que pessoa alguma gostaria de viver.

O relacionamento em si já era bagunçado e o fato de haver quebrado fez com que você também se sentisse quebrada.

Se achava inteira com a pessoa, não achava?

Achava que tudo era lindo e jamais imaginou a possibilidade de viver sem a presença dele/dela, não é? Mas acabou. O namoro, o casamento, o rolo, não existe mais e você está destruída…

Parece que pedacinhos seus estão espalhados pelo chão da sala e nada que tente fazer consegue juntar esses caquinhos!

Vamos trabalhar nisso? Vamos recuperar essa pessoa que se quebrou?

DÊ UMA OLHADA BOA EM VOCÊ.

Quem você é? Do que gosta de fazer e o que desejaria fazer que não fez?

Pare de se olhar e ver somente linhas de expressão, rugas e defeitos mil!

Comece a se olhar de verdade e dizer a si mesma que é um mulherão, é linda, incrível e maravilhosamente divina!

Muitas vezes, a dor e o desespero não nos deixa ver a nossa beleza, a nossa importância e ficamos só a nos condenar, a nos culpar e nos machucar!

Chega disso.

SE PERDOE.

Não fique se torturando, pensando que a culpada do desastre amoroso foi sua, que tudo seria diferente se tivesse feito isso ou aquilo, se tivesse aceitado, se tivesse implorado mais, se tivesse sido menos babaca, sei lá!

Se algo não deu certo, não se culpe! Já foi, já passou! Pare de se torturar. Sente-se em um lugar tranquilo e diga pra si mesma:

EU ME PERDOO POR TER SIDO TÃO CRUEL COMIGO MESMA. EU ME PERDOO.

ACEITE A SEPARAÇÃO.

Muitas são as razões pelas quais um casal se separa e, quem sou eu pra saber os motivos da sua separação, mas, tudo que tenho a dizer é que, se acabou, se a palavrinha FIM apareceu num banner todo colorido com luzes piscantes, se não tem chance de volta e, mesmo que você não aceite, você sabe que não tem, então, colega, aceite assim mesmo.

O fato de “aceitar” vai te fazer se sentir mais leve, a confiar na Providência Divina, no Universo, na vida e te incentivará a compreender que não era pra ser.

Compreendendo, sua respiração muda, sua ansiedade se desfaz e você pára de se maltratar tanto voltando a olhar para si mesma e a gostar de si.

FAÇA UMA ATIVIDADE FÍSICA

Dizem, que as substâncias liberadas durante uma atividade física são excelentes motivadoras do bem estar e da alegria!

Então, faça como eu: saia pra correr, corra um metro, volte exausta, porém, renovada! (risos altos)

SE ABRACE.

Já ouvi dizer que uma panela de brigadeiro de colher ou uma vasilha de sorvete costumam nos abraçar na hora da tristeza, mas NÃO CAIA NESSA!

Por mais que sejam deliciosos, eles não vão trazer de volta sua autoestima, não vão te dizer que você merece ser feliz, que você é fantástica e coisas mais!

Irão só te dizer que: “fique aqui, minha amiga, nesse sofá, na frente dessa tv, usando essas meias velhas e esse pijama até o dia clarear e, quando clarear, continue aqui e faça mais uma panela de mim (brigadeiro)”.

É você que precisa ter carinho por você, é você que precisa se abraçar, se cuidar, se dar amor! Não uma panela de brigadeiro!! (apesar de ajudar nos primeiros minutos…)

APRENDA ALGO NOVO

Não vou dizer aqui pra você bancar a solteira soltinha e cair nas baladas que isso vai fazer sua autoestima voltar pras alturas!

Não vai, não! Quando você chegar em casa, com olhos manchados pela maquiagem só se sentirá ainda pior do que antes. Vai por mim.

A melhor solução para você ir cicatrizando sua alma aos poucos é fazer coisas que antes você não fazia, preencher sua mente de coisas novas, de informações úteis que farão de você uma pessoa melhor!

Existem vários exemplos do tipo: retomar a faculdade, aprender um idioma, um instrumento novo, assistir palestras motivacionais, buscar um templo budista, ter aulas de caligrafia, adotar um cãozinho, levar as crianças a lugares que vocês nunca foram juntos, andar de patins, visitar a natureza e um milhão de outras coisas mais que é possível fazer com a intenção de te fazer feliz e mudar o foco da sua atenção.

Você precisa liberar as tensões dos restos, fazer você voltar pra perto de você mesma.

E depois dessas poucas dicas, acredito que o termômetro de sua autoestima terá subido um pouquinho mais e que estará se sentindo melhor, mais aliviada, mais calma, mais em paz.

Momentos difíceis sempre acontecerão em nossa passagem pelo planeta, ainda mais, em se tratando do convívio com pessoas, do enlace emocional com elas, que, se não é bem sucedido, nos faz sofrer muito.

No entanto, devemos manter o equilíbrio em nosso ser e a confiança na pessoa que somos, no amor que sentimos por nós mesmas, pelo cuidado e carinho que temos com o nosso coração e nossa mente, ambos, tão delicados.

Podemos fortalecer nossa autoestima acreditando sempre na nossa capacidade de renovação, de superação e que, mesmo que nos difamem, que nos digam coisas horríveis que parece nos levar ao chão, não cairemos, porque temos conhecimento do poder que temos ao gostarmos da gente e que isso, ofensa alguma pode abalar.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Cris Souza Fontes
Escritora, blogueira, amante da natureza, animais, boa música, pessoas e boas conversas. Foi morar no interior para vasculhar o seu próprio interior. Gosta de artes, da beleza que há em tudo e de palavras, assim como da forma que são usadas. Escreve por vocação, por amor e por prazer. Publicou de forma independente dois livros: “Do quê é feito o amor?” contos e crônicas e o mais espiritualizado “O Eterno que Há” descrevendo o quão próximos estão a dor e o amor. Atualmente possui um sebo e livraria na cidade onde escolheu viver por não aguentar ficar longe dos livros, assim como é colunista de assuntos comportamentais em prestigiados sites por não controlar sua paixão por escrever e por querer, de alguma forma, estar mais perto das pessoas e de seus dilemas pessoais. Em 2017 lançará seu terceiro livro “Apaixonada aos 40” que promete sacudir a vida das mulheres.