Como enfrentar o desânimo?

Resiliência Humana

Todos nós nos sentimos mal de vez em quando. Existem horas, dias, semanas ou até meses nos quais nossas forças parecem desaparecer. Momentos em que somente existe uma única frase em nossa mente: “Estou desanimado”. É como se tivéssemos perdido o rumo e não soubéssemos como enfrentar o desânimo.

É normal se sentir mal de vez em quando. A vida é uma contínua aventura com seus dias bons, mas também existem os ruins e, logicamente, os regulares. Mas o que podemos fazer para solucionar este problema? Como enfrentar o desânimo e fazer essa sensação desaparecer? Saber administrar os momentos de tristeza nos trará uma luz que tanto necessitamos nos dias nublados. Veja a seguir quais estratégias seguir para combater a tristeza cotidiana.

Quais são as melhores estratégias para enfrentar o desânimo?
Existem inúmeros livros, artigos e revistas que oferecem a mais nova e melhor técnica para nos fazer sentir felizes de maneira contínua e erradicar para sempre os maus momentos. No entanto, a maioria delas não são realistas ou costumam funcionar somente a curto prazo.

Por esta razão, neste artigo falaremos não de técnicas, e sim de estratégias para administrar o mal-estar que às vezes nos invade. Logicamente não são remédios milagrosos; é preciso ter esforço, paciência e consciência emocional para conduzi-las, mas uma vez colocadas em ação, seus benefícios serão notados, principalmente a longo prazo. As estratégias são as seguintes:

Aceitar o que está acontecendo.
Cuidar do corpo.
Rodear-se de pessoas queridas.
Trabalhar as metas.

1- Aceitar o que está acontecendo
Quando notamos o desânimo, nossa primeira reação é tentar negá-lo enquanto nos distraímos e lutamos contra essa sensação tão desagradável. Afinal, ninguém quer se sentir triste.

O problema com esta estratégia é que no mundo das emoções, tudo aquilo a que resistimos tende a ficar mais forte. Por isso, no geral, quando nos “aborrecemos” com nós mesmos por nos sentirmos mal, a única coisa que fazemos é adicionar mais peso ao nosso sofrimento.

O certo é que as emoções estão tentando nos mandar uma mensagem. Na verdade, não são mais do que reações químicas em nosso cérebro, que nos indicam quando algo é bom e quando não é. Por isso, focar somente as emoções desagradáveis fruto desse desânimo, e não a sua causa, somente nos provocará um mal-estar maior a longo prazo.

Logo, a melhor estratégia para quando nos sentirmos mal é aceitar o que está acontecendo e tentar descobrir a razão dessas emoções e para que servem. Para conseguir, uma das melhores formas é praticar alguns exercícios de relaxamento e meditação.

2- Cuidar do corpo

Em muitas ocasiões, quando nos sentimos de mau humor, buscamos a causa em circunstâncias externas ou em nossos pensamentos. No entanto, às vezes a origem de nosso desânimo está mais relacionada com a química de nosso corpo do que com aquilo que nos acontece.

Por isso, para nos sentirmos bem a longo prazo, é fundamental cuidar da alimentação, exercícios e descanso. Mesmo que possa parecer, à primeira vista, que estes três fatores não possam influenciar nossos momentos de desânimo, a realidade é que o fazem muito mais do que pensamos.

3- Rodear-se de pessoas queridas
De acordo com uma grande quantidade de estudos científicos, melhorar nossas relações sociais tem um impacto direto sobre nossa felicidade. Trata-se de um dos âmbitos mais importantes da vida. Desde os relacionamentos amorosos até as simples amizades, contar com outras pessoas nas quais confiamos e que nos façam sentir apoiados é fundamental para nos sentirmos bem.

Uma das estratégias mais úteis para nossos momentos tristes é sair para socializar com outras pessoas. Mesmo que o mais provável seja que nessas circunstâncias não queiramos fazer nada, no momento em que quebramos esse manto de solidão que nos envolve e entramos em contanto com alguém de quem gostamos, nosso humor melhorará consideravelmente.

Por outro lado, se nos consideramos tímidos, melhorar nossas habilidades sociais pode nos servir como catalisador para nos sentirmos melhor com nós mesmos. Assim, uma vez que confiemos em nossa capacidade para conhecer gente nova e se conectar, experimentaremos como nossas épocas de desânimos ficarão no passado.

4- Trabalhar as metas
A última estratégia está relacionada em focar nossas metas, ou seja, não deixar para depois nossos projetos e objetivos pessoais. Na verdade, pode ser que esse mal-estar venha do fato de termos nos desconectados de nós mesmos, e precisamos reforçar nosso vínculo interno.

Não se esqueça de que se priorizar é importante para o próprio bem-estar. Se nos abandonamos e deixamos em segundo plano tudo aquilo que desejamos fazer, é normal que um dia acordemos com sentimentos de frustração e fracasso.

Como você pode ver, é possível enfrentar o desânimo e reduzir essa desagradável sensação que às vezes nos invade. Só temos que estar conscientes dela e pensar no que podemos fazer para solucioná-la.

FONTEA Mente é Maravilhosa
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia