Ciúme doentio: Mente, ameaça e se faz de vítima para manipular o outro!

Quer seja um caso leve ou grave, o ciúme pode ter um grande impacto em seu relacionamento.

Você pode sentir ciúme quando sentir a ameaça crescente de um rival. A maioria de nós fica com ciúme quando vê nosso cônjuge se divertindo com uma pessoa do sexo oposto – especialmente se essa pessoa parece um pouco amigável demais.

Não importa o quanto seu cônjuge tente tranquilizá-lo, o interesse de outra pessoa por ele levanta todas as suas bandeiras vermelhas.

Dois tipos de ciúme

O ciúme pode ser saudável ou doentio.

O ciúme saudável é um meio de proteger o seu território e vem de um sincero cuidado e compromisso com um relacionamento.

Por outro lado, o ciúme doentio se manifesta por meio de mentiras, ameaças, autopiedade e sentimentos de inadequação, inferioridade e insegurança.

O tipo bom

O ciúme saudável protege o coração de um casamento porque:

– mostra seu compromisso com o relacionamento;

– protege seu casamento protegendo o relacionamento contra ataques externos;

– aprofunda sua abertura um com o outro e torna você responsável por meio de comunicação honesta;

– ajuda você a enfrentar as principais ameaças ao seu casamento e evitá-las antes que se tornem grandes problemas;

– Na Bíblia diz para respeitar o ciúme de seu cônjuge, que é um aviso de perigo que está por vir;

Se seu cônjuge é uma pessoa segura e deseja proteger seu casamento contra perigos diversos, você precisa ouvir. Enfrente o problema de frente, descobrindo o motivo do ciúme e, em seguida, fazendo mudanças para mantê-los fora de perigo.

Parceiras: confie nos instintos de seu parceiro. Homens pensam diferente, o que desejam e como buscam isso é muito peculiar. Portanto, seria tolice da sua parte não dar atenção ao aviso dele.

Parceiros: confie nos instintos de sua parceira. Se ela sugerir que outra mulher está se comportando de maneira inadequada, sua esposa provavelmente está certa.

A maioria das mulheres possui radar, um estado de alerta inato para a comunicação não-verbal e uma capacidade de traduzir a linguagem corporal e o tom em fatos emocionais. Sua parceira provavelmente é capaz de ver essas coisas claramente, então não critique ou culpe e nem a chame de insegura por suas advertências.

O mal

O ciúme doentio é totalmente diferente.

Isso acontece quando a parceira ou o parceiro é extremamente inseguro e começa a se comparar com os outros e a se sentir inadequado, sem importância, inferior e insuficiente.

Alguns cônjuges sofreram muitas perdas na vida – divórcio, morte ou abandono na infância – e podem trazer questões não resolvidas para o relacionamento atual na forma de ciúme. No entanto, quando uma pessoa leva esse ciúme a extremos patológicos, ele arruinará o relacionamento.

Um parceiro com ciúme crônico tentará controlar um relacionamento por meio da controle excessivo, com autopiedade, mentiras, ameaças e / ou manipulação.

Quando o outro parceiro resiste, a pessoa ciumenta reage tornando-se ainda mais controladora.

Então, o outro parceiro resiste ainda mais, confidenciando a um amigo ou buscando alívio fora do casamento. Às vezes, isso pode se tornar uma espiral descendente.

Aqui estão apenas alguns dos efeitos do ciúme doentio:

– Você duvida da honestidade de seu parceiro e o acusa injustamente;

– Você se sente inútil e sem importância;

– Você fica frustrado e se sente oprimido;

– Você tem o desejo de controlar e controla;

– Você perde a intimidade sexual com seu parceiro;

Quando o ciúme se torna doentio, é destrutivo e frustrante enfrentá-lo. O amor não é ciumento e possessivo. O amor verdadeiro permite que você deseje o que é melhor para a outra pessoa – não o que é melhor para você.

O amor é paciente, o amor é gentil. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não é rude, não é egoísta, não se irrita facilmente, não mantém registro de erros. O amor não se deleita com o mal, mas se alegra com a verdade. Sempre protege, sempre confia, sempre espera, sempre persevera. (1 Coríntios 13: 4-7)

Então, como você lida com o ciúme doentio em seu relacionamento?

Aqui estão algumas dicas para ambos – se você tem parceiro ou é um ciumento.

Se você tem um parceiro ciumento:

– Avalie se você está fazendo algo que está provocando ciúme. Se estiver, pare com essa atividade ou envolvimento por um tempo para mostrar a seu parceiro que você está comprometido com seu relacionamento. Se não estiver, demonstre a ele que o ama e o deixe seguro.

– Demonstre amor por ele com pequenas atitudes diárias.

– Fale abertamente com seu parceiro sobre o problema. Escute a opinião dele (os sentimentos podem ser legítimos) e trabalhem juntos para encontrar uma solução.

Se você é o parceiro ciumento:

– Ouça alguns amigos de confiança. Seu ciúme pode ser problema seu, não do seu parceiro, portanto, procure ajuda, tanto daqueles que te querem bem, quanto de um profissional.

– Seja honesto com você mesmo. Pergunte o que está causando esses sentimentos. Você está tentando manipular, controlar, e está se vitimizando para ter o que quer?

– Passe algum tempo com Deus.

– Pense em seu parceiro de forma mais positiva. Pessoas com ciúmes usam seus pensamentos ansiosos e suspeitas como pistas para interpretar mal qualquer coisa que seus parceiros fazem. Em vez disso, respire fundo e ore – por você e por seu parceiro. Respire fundo e não alimente pensamentos obsessivos.

– Expresse seus sentimentos ao seu parceiro. Confesse seu ciúme. Seja honesto assumindo a responsabilidade e sem culpa-lo ou manipula-lo.

Você é quem precisa se tornar mais confiante, não é o seu parceiro que precisa parar de viver para que você se sinta seguro.

*DA REDAÇÃO RH. Com informações Focus on the Family.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia