Cientistas explicam porque devemos abraçar e beijar muito.

Luciano Cazz

Amar pelas redes sociais não compensa nenhuma ausência. Mais do que estar cara a cara, para ser feliz de verdade, é preciso trocar carinhos, abraçar e beijar bastante.

O toque de carinho traz muitos benefícios às pessoas porque a nosso corpo possui redes de receptores de pressão sob a pele conectadas ao cérebro e outros órgãos, segundo o cientista Francis McGlone, da universidade de Liverpol. Por isso toques carinhosos diminuem os batimentos cardíacos e produzem oxitocina, conhecida como o hormônio do amor e da felicidade. Segundo os cientistas, tal substância aumenta os sentimentos de apego, conexão, confiança e intimidade, além de ajudar a diminuir estresse e raiva, como também auxiliar na cura da depressão e até mesmo do câncer.

MÃOS DADAS: É cientificamente comprovado que ficar de mãos dadas com alguém altera o funcionamento do cérebro e pode aliviar dores e diminuir o medo. Por isso nos sentimos impelidos a dar a mão em momentos difíceis seja por uma enfermidade ou uma situação de perigo. O gesto impulsiona o que os cientistas chamam de sincronização interpessoal, que envolve não só o cérebro como também batimentos cardíacos e ritmo da respiração. O efeito é potencializado se seguramos a mão de quem amamos. Portanto, se puder, dê as duas mãos, pois como dizia Madre Teresa de Calcutá: “As mãos que fazem, valem mais do que os lábios que rezam.”

ABRAÇO: Abraçar também pode trazer benefícios à saúde. A leve pressão no esterno estimula a glândula responsável por regular e equilibrar a produção de glóbulos brancos no nosso organismo, fortalecendo o sistema imunológico. Tal gesto também pode amenizar o risco de doenças cardíacas, pois, os abraços diminuem o nível de cortisol que é o hormônio do estresse, causando relaxamento e alívio de tensão. Um abraço de urso libera a dopamina, hormônio do prazer e a serotonina, do bem-estar. Nunca se esqueça, o abraço é a única coisa no mundo que quanto mais apertado, mais alívio dá. Ele embrulha a alma e enlaça o coração.

MASSAGEM: Ela vai muito além da superfície do corpo e pode melhorar muito nossa saúde física e mental, basta massagear sem usar força ou leveza demais. Esfregue, amasse, dê batidas com moderação. Isso auxilia nosso sistema imunológico porque aumenta o número de células que ajudam o corpo a combater infecções virais e células cancerosas. A massagem em grávidas pode evitar partos prematuro. Ela também ativa os receptores nervosos sob a pele, melhora a respiração celular, quebra gordura com o aumento da irrigação sanguínea e ajuda a evitar a atrofia muscular. Por isso ao invés de falar mal pelas minhas costas, faça uma massagem nela.

BEIJO NA BOCA: Beijar exige muito de nós, física e mentalmente, o que faz que o corpo entre em outro estado. Muitos hormônios são ativados e a pele aumenta de temperatura. O toque dos lábios eleva os batimentos cardíacos, o que aumenta a oxigenação das células, estimula as funções circulatórias e diminui a insônia e as dores de cabeça. A cada beijo, o corpo queima em torno de 15 calorias e a carga de adrenalina e a endorfina aumenta muito causando uma sensação de bem-estar. Portanto, menos mi mi mi e mais beijos, porém, de amor, porque beijar qualquer um pode é fazer mal a sua saúde.

O toque é imprescindível desde quando saímos do ventre da mãe. Bebês que não recebem toques de afeição no começo da vida levam mais tempo para se desenvolver e ainda tendem a apresentar mais problemas de cognição e autocontrole ao longo da vida. E se crescerem sem carinhos podem se transformar em adultos violentos.

Por isso, toque sempre. Carinho de amor pode salvar o mundo. E não esqueça do cafuné, que só pode ter sido uma invenção de Deus, porque além de ter todos esses tantos benefícios, ainda ajuda a adormecer em paz e relaxa até a alma.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Luciano Cazz
"Luciano Cazz é publicitário, ator, roteirista e autor do livro A Tempestade depois do Arco-íris."

COMENTÁRIOS