Cientistas afirmam que beber pode tornar os homens mais atraentes para as mulheres

Resiliência Humana

Bebedores ocasionais e bebedores freqüentes foram classificados como significativamente mais atraentes do que os não bebedores, especialmente em contextos de acasalamento de curto prazo.

Por: Jack Beresford

Beber um drink é um “sinal sexual” usado pelos homens para mostrar às mulheres sua força, vigor e, finalmente, sua atratividade para o sexo oposto, de acordo com um novo estudo científico que sugere que a bebida entre os adultos jovens pode servir para demonstrar “a vontade sinalizadora de correr riscos”.

A pesquisa publicada na revista Evolutionary Psychology baseia-se na teoria evolucionária-chave para propor o consumo excessivo de álcool é algo chamado “sinal dispendioso” – um tipo de comportamento ou característica que demonstra o valor de um indivíduo como companheiro, por exemplo, como a cauda de um pavão.

Nesse caso, o estudo descobriu que um homem capaz de beber muito server para demonstrar sua resistência física quando se trata de lidar com os impactos físicos do consumo excessivo.

“O consumo excessivo de álcool entre homens jovens serve como um ‘sinal dispendioso’ para a conquista de possíveis parceiros, de modo que o fato de ser capaz de suportar as conseqüências prejudiciais disso pode determinar a atração”, afirmou a pesquisa.

“O consumo excessivo de álcool pode comunicar informações sobre recursos, qualidade subjacente do parceiro, concorrência e estratégias de acasalamento.

“Como algumas bebidas são luxuosas, o consumo de álcool pode refletir riqueza.”

O estudo examinou a “proporção de sexo ocasional” entre homens e mulheres, que indica o número de pessoas de cada sexo que são solteiras e procuram um parceiro em potencial em uma noite.

Eles descobriram que os homens são mais propensos a beber demais quando há menos mulheres disponíveis.

Por outro lado, o oposto era verdadeiro para as mulheres que bebiam menos quando grandes grupos de homens estavam próximos.

Pubs e clubes foram considerados os locais mais comuns para a competição masculina pela atenção feminina, onde “homens jovens reuniam e bebiam álcool principalmente para competir pela atenção feminina e mostrar sua masculinidade para mulheres e outros homens”.

“A capacidade de suportar esses efeitos prejudiciais pode sinalizar” vigor “e anunciar a qualidade do parceiro”, afirmou o estudo.

“Essa ideia está relacionada a [uma teoria chamada] princípio do handicap, em que fêmeas de muitas espécies preferem machos que exibem traços exagerados e dispendiosos para manter e desenvolver; portanto, essas características servem como sinais “honestos”.

De fato, bebedores ocasionais e bebedores freqüentes foram classificados como significativamente mais atraentes do que os não bebedores, especialmente em contextos de acasalamento de curto prazo.

“Além disso, uma revisão recente da evolução das habilidades cognitivas específicas do sexo humano por Geary (2017) identifica o álcool como um estressor / intoxicante que compromete a construção, manutenção e expressão de características selecionadas sexualmente.

“Assim, a capacidade de resistir apesar de consumir álcool, especialmente entre os homens, pode sinalizar que o bebedor compulsivo é de qualidade.”

*Via Irish Post. Tradução e adaptação REDAÇÃO Resiliência Humana.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia