Casal se reencontra 48 anos depois, em lar de idosos, e se casam! E provam que nunca é tarde!

“Consegui realizar o que mais queria, que era casar com o homem da minha vida. Me senti uma rainha em direção ao meu rei.” disse a idosa de 62 anos.

O casal conseguiu realizar o sonho de se casar. E eu te pergunto: Qual é o seu sonho?

Essa história aconteceu em 2018, mas servirá como inspiração para sempre!

A vida nem sempre nos concede o que a gente quer na hora que a gente quer, e é justament isso que quero abordar com vocês, trazendo a história de amor de Dona Adail de Souza Lima, de 62 anos, e seu Bonifácio Gonçalves de Faria, de 86, porque eles são ótimos exemplos disso.

Como relatou o G1, os dois se conheceram há muitos anos, em Cruzeiro do Oeste, no Paraná. Ela tinha apenas 14 anos se apaixonou perdidamente por um homem muito mais velho, ele mesmo: seu Bonifácio. Na época ele tinha 39 anos e a família de dona Adail foi completamente contra o relacionamento, afinal, ela só tinha 14. Ele acabou mudando de cidade e eles não se viram mais.

A vida seguiu e, embora nenhum tenha esquecido o outro, cada um tocou sua vida.

Dona Adail se casou e teve três filhos e seu Bonifácio também se casou e teve um filho. Com a morte do marido, ela acabou indo morar com a irmã e, depois, foi para um lar de idosos em Itapetininga, SP, onde mora há mais de dez anos. Seu Bonifácio também ficou viúvo e foi levado para o mesmo lar por um sobrinho há seis anos.

No local eles finalmente se reencontraram e não perderam tempo. Relembraram do amor que tiveram um pelo outro e que não puderam viver plenamente e começaram a namorar imediatamente.

Daí para o casamento foi um ‘pulo’. Após seis meses eles contaram aos funcionários que queriam oficializar a união e todos começaram a se mobilizar para ajudar a planejar.

O casamento foi uma festança, teve desde carro conversível e cabeleireiro para embelezar a noiva a decoração da capela do asilo.

O casal é só felicidade e parecem até dois adolescentes de tão alegres e empolgados!

A verdade é que a vida surpreende quem confia nela!

Essa história de amor e de espera, é o que precisamos aprender hoje: Não devemos tentar acelerar a vida, pular fases, mesmo que a ansiedade nos diga que devemos correr para viver, que não devemos perder tempo, nada na vida é por acaso. No caso da Dona Adail, ela precisava viver tudo que viveu, ter os filhos que teve, aprender o que aprendeu e se tivesse “fugido aos 14 anos”, talvez não teria cumprido o seu propósito nessa vida.

Tudo tem seu tempo, as coisas acontecem na hora que precisam acontecer e, a gente, precisa aprender a confiar mais no tempo da vida!

Só precisamos entender que nunca será tarde demais para ser feliz. Qual é o seu sonho?

*DA REDAÇÃO RH.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia