Boa ação: Mulher cria asilo de animais para cuidar de pets doentes!

Muitas pessoas passam uma vida inteira em busca de uma missão que seja nobre o suficiente para que as suas vidas tenham sentido, essa mulher é uma delas, e hoje ela pode dizer que faz o que ama e que o que faz, tem um sentido maior do que tudo o que ela havia feito antes.

Alexis Fleming decidiu seguir a sua missão e abriu um asilo animal para cuidar de pets idosos, doentes, muitos deles, em estado terminal.

Desde 2016 ela se dedica para que os bichinhos tenham um final de vida com carinho e tranquilidade.

Alexis proporciona amor a eles nos últimos momentos, além de um lugar digno para que eles possam fazer a passagem.

Ela abriu o asilo Maggie Fleming Animal Hospice no Reino Unido. Lá ela recebe cachorros, gatos, aves, e outras espécies de animais debilitados e sem muito tempo de vida.

O amor que a move

A ideia de literalmente abraçar animais em fase terminal, surgiu após Alexis perder Maggie, uma cadela que resgatou das ruas e cuidou durante anos.

“Ela morreu após complicações, depois de uma cirurgia. Eu tive que tomar a decisão pelo telefone, se a deixaria morrer, e eu sabia que nunca mais a veria novamente”, lembra.

Alexis lembra que Maggie foi a maior e melhor companhia que ela teve durante muito tempo. A tutora diz que foi a cachorrinha quem deu forças a ela para lutar contra a Doença de Crohn.

A luta contra a injustiça

Alexis conta que sempre sentiu pelo fato de muitos animais acabarem nas ruas após ficarem velhos, para ela, isso é muito injusto.

Foi vendo essa situação e lembrando de Maggie, que ela resolveu abrir o asilo.

Atualmente, o local abriga mais de 100 animais, desde cachorros a galinhas e porcos. Para a fundadora, não importa a espécie, todos precisam de amor.

mulher-monta-asilo-de-animais

Ela também conta que mesmo com um trabalho árduo, que toma mais de 16 horas do dia dela, o amor que recebe dos animais amparados é incomparável.

“Essa é a parte prazerosa. Ter algo assim para te fazer levantar da cama de manhã, sou muito sortuda. Realmente não sinto como se fosse um trabalho”, conta.

Ela também fala que entende que os bichinhos estão em fase final da vida e aprendeu a lidar com a partida deles.

mulher-em-asilo-danimais-missao

“Se aceitamos a vida, temos que aceitar a morte. É uma realidade inevitável e, de fato, pode ser algo realmente lindo. Isso vai acontecer e todos nós podemos tornar a morte de alguém bonita”, ensinou Alexis.

*DA REDAÇÃO RH.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia