Bloquear quem te feriu é sinal de imaturidade?

Acabei de bloquear alguém que era meu “amigo” há mais de 10 anos. Decidi apenas cortar os laços completamente.

Enviei uma mensagem forte, e não quis ler a resposta, não se trata de má comunicação quando não se quer comunicar.

Eu sou um observador, vou deixar a “revolta” passar, mas depois, no final das contas, faço minhas preocupações serem conhecidas e, se sinto que não sou ouvido, não repito a mesma coisa duas vezes.

Bloquear e seguir em frente, é muito melhor do que ir e voltar. Pporque bater em um cachorro morto é revoltante.

Bloquear não é sinal de imaturidade.

Pelo contrário. Pessoas maduras sabem quando cortar a toxicidade e quando investir em um relacionamento, seja ele de amizade ou romântico.

Bloquear é exercer o seu direito de evitar o contato com quem te faz mal, é impor limites claros entre você e aquele que você não quer interagir.

O mais precioso é o tempo, então não o desperdice se estendendo demais, bloqueie e siga em frente.

A negatividade entra em nossa vida de todos os lados. Se você se sente desconfortável com alguém ou que é consistente em fazer você perder a sanidade, bloquear é a única opção.

Se você considera isso como imaturidade, que assim seja. Para mim, a paz de espírito é muito mais preciosa do que o seu julgamento.

No final do dia, devo conseguir dormir bem e o bloqueio funciona a esse favor.

Me chame de egoísta, ignorante, cabeça-quente ou imaturo, mas algumas pessoas precisam ser bloqueadas para evitar drama desnecessário.

Tudo o que sei é que fiz o que fiz foi exclusivamente para mim. Foi pela minha sanidade porque eu precisava terminar este capítulo em particular e se o bloqueio me ajudar a seguir em frente, então estou bem sendo chamado de imaturo.

*DA REDAÇÃO RH. Foto de Laura Chouette no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia