Biden perdoa condenados por posse de maconha e abre caminho à descriminalização

Uma nova era se inicia, que deve abolir o preconceito, após décadas de criminalização em cima de uma planta que sempre trouxe benefícios para seus usuários, mas que sofreu com a ira daqueles que implantaram informações falsas para castigar os usuários, antigamente, em sua maioria, negros.

Diante de novos estudos, irrefutáveis, que comprovam a eficácia da maconha para inúmeras doenças, o presidente dos EUA, cumpriu o prometido em campanha e agora, vai desfazer as injustas condenações daqueles que foram presos portando a erva.

O presidente dos EUA cumpriu uma das suas promessas eleitorais ao perdoar os condenados por posse de maconha e irá incentivar os Estados norte-americanos a seguir o mesmo caminho.

Joe Biden anunciou, esta quinta-feira, o perdão a todos os condenados por posse de maconha a nível federal. De acordo com informações do Observatório, trata-se de um passo rumo à descriminalização, espelhado por um indulto que afeta mais de 6.500 indivíduos em todo o país.

A promessa feita em campanha era de “limpar a ficha” de todas as pessoas condenadas por este, até então, considerado “crime”, e que, de certa forma, nunca deveria ter sido, visto que, a decisão de colocar a Canabis na lista das drogas mais perigosas do mundo, está a cada dia, mais confirmada, como um grande erro.

O chefe de Estado pretende estender a decisão além do federal, tendo em conta que a maioria dos condenados cumprem pena neste contexto.

Em comunicado, após a decisão, Joe Biden recordou que os registos criminais associados à maconha “impuseram barreiras desnecessárias para encontrar trabalho ou para comprar casa” e que, em muitos casos, houve “muitas oportunidades educacionais perdidas devido ao cadastro”.

“Enviar pessoas para a prisão por posse de maconha destruiu muitas vidas e prendeu pessoas por um delito que em muitos países já não é considerado um crime punível de prisão”, defendeu o Presidente norte-americano.

Racismo e preconceito foram os motivos da criminalização da maconha

Joe Biden afirma que o racismo foi o incentivador da criminalização:

“O número de brancos e os negros que consomem canábis é semelhante e são as pessoas negras que vão presas. As detenções e condenações de pessoas negras têm acontecido de forma desproporcional.”

A decisão anunciada pelo Presidente dos EUA não é suficiente para que se alcance uma descriminalização total, mas deixa a possibilidade mais próxima, tendo também em conta que Biden vai incentivar os Estados norte-americanos a seguir o caminho agora iniciado.

Assista a declaração do presidente americano:

Apesar das décadas de sofrimento e perseguições aos usuários, a retratação do atual presidente dos EUA é um passo importante para o início de uma nova era sem o peso do preconceito.

*DA REDAÇÃO RH.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia