Às vezes, ser bloqueado por alguém é a melhor coisa que poderia ter acontecido

Fabíola Simões

Algumas pessoas saem de nossas vidas sem a gente querer, mas depois de um tempo a gente percebe que foi a melhor coisa que poderia ter acontecido.

Às vezes nos falta coragem para romper com uma situação ruim. Projetamos o futuro com pessimismo e não imaginamos que de um limão podem surgir diversas limonadas geladinhas e muito doces. Então de repente vem a vida solucionando tudo pra gente, nos livrando dos enganos com bênçãos disfarçadas, nos permitindo dar um basta àquilo que não nos cabe, mesmo que não consigamos enxergar isso no momento.

Qualquer um há de concordar que ser rejeitado por alguém machuca, fere muito. Porém, é preciso conseguir ver além das primeiras impressões. É preciso aprender a enxergar além daquele momento em que a raiva nos cega e só pensamos no próprio ego, no orgulho ferido, na humilhação e no fracasso. É preciso deixar o tempo apaziguar a decepção e só então ter a noção exata do que foi perdido. Porque às vezes a gente se confunde. Imagina que perdeu alguma coisa quando na realidade ganhou. Embaralha os sentimentos e acredita que a dor do abandono é o mesmo que a tristeza pelo fim do relacionamento.

Às vezes a gente insiste. Insiste muito. Aposta alto num barco furado porque em algum lugar dentro da gente algo ainda nos diz que é pra continuar remando, que vai valer a pena, que há algo a se esperar. Porém, mesmo insistindo, mesmo desejando, podemos ser bloqueados em nossa tentativa de remar. Nós ainda não temos consciência disso, mas uma hora iremos perceber que foi a melhor coisa que poderia ter acontecido.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Fabíola Simões
Nasceu no sul de Minas, onde cresceu e aprendeu a se conhecer através da escrita. Formada em Odontologia, atualmente vive em Campinas com o marido e o filho. Dentista, mãe e também blogueira, divide seu tempo entre trabalhar num Centro de Saúde, andar de skate com Bernardo, tomar vinho com Luiz, bater papo com sua mãe e, entre um café e outro, escrever no blog. Em 2015 publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos os Afetos" e se prepara para novos desafios. O que vem por aí? Descubra favoritando o blog e seguindo nas outras redes sociais.

COMENTÁRIOS