Às vezes, é preciso amar, aprender e partir para outra

Bruna Cosenza

Nem todos os amores que chegam vêm para ficar. Isso todo mundo já sabe. O grande problema acontece quando amamos, aprendemos e não queremos partir para outra.

É nesse momento em que nasce aquela aflição de que nada nem ninguém será capaz de nos fazer sentir como aquela pessoa fez. E talvez isso realmente seja verdade.

Talvez ninguém o(a) faça sentir como ele(a) fez. Isto porque ninguém é igual a ninguém e, portanto, somos incapazes de provocar o mesmo sentimento em todas as pessoas com as quais nos relacionamos.

Quando estamos com alguém, tudo o que o outro ocasiona em nós é resultado de uma mistura única entre duas pessoas.
Cada indivíduo é extremamente singular e, portanto, cada pessoa que cruza o nosso caminho nos faz sentir coisas que mais ninguém fará.

Por mais que isso seja incrível, também faz com que seja muito mais difícil partir. O medo de que ninguém mais nos faça sentir tudo aquilo outra vez é completamente normal, mas não pode ser maior do que a necessidade de seguir em frente.

Até porque, se foi incrível uma vez, nada impede que seja incrível de novo, e de novo.

É preciso entender que nem todos os amores que chegam vêm para ficar, e não tem problema. Muitas vezes, tudo o que faremos é amar, aprender e partir para outra.

O que cada pessoa nos fará fazer sentir é insubstituível, ninguém fará o mesmo, mas isso não significa que não há outras coisas maravilhosas para sentir por aí…

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Bruna Cosenza
Bruna Cosenza é paulista e publicitária. Acredita que as palavras têm poder próprio e são capazes de transformar, inspirar e libertar. É autora do romance "Lola & Benjamin" e criadora do blog Para Preencher, no qual escreve sobre comportamento e relacionamentos do mundo contemporâneo.