Às vezes a gente não cai por fraqueza, mas porque tentamos ser muito forte por muito tempo

Iara Fonseca

Às vezes a vida nos prega peças, mesmo na gente, que acreditamos ser fortes, e temos que nos munir de confiança, fé e coragem, para enfrentar os nossos problemas de frente, veja bem, eu disse os nossos problemas, não os dos outros, sejam eles quais forem.

Tentamos a todo tempo ser fortes, mas de repente, algo assim, nem muito problemático acontece, e a gente cai, cai direitinho, e acabamos sentindo que tudo dentro de nós se quebrou, e que não existirá mais conserto.

Mas, quem tenta ser forte por muito tempo, e consegue por anos se manter equilibrado e resiliente, e de uma hora para a outra, cai, mesmo tento passado por coisas muito mais difíceis, aparentemente, do que se passa agora, não cai por fraqueza… cai, porque quer carregar o mundo nas costas, porque acredita que só ele conseguirá resolver os problemas dos outros e dele próprio, cai, porque não confia que os outros podem se resolver sozinhos, tão somente porque não conseguem delegar…

Os psicólogos chamam isso de “esgotamento psicológico”, mas eu chamo de “orgulho e necessidade de controle”.

Não sou psicóloga, sou jornalista, mas depois de muito estudar sobre o assunto, acredito que posso falar com propriedade sobre algumas coisas, não simplesmente porque eu leio muito, mas porque eu já sofri o chamado “esgotamento psicológico”.

Teoricamente esse esgotamento vem do nada e nos arrebata, como seu peso mental e emocional é descomunal, ele nos derruba, demonstrando a nossa fragilidade real. E isso só acontece porque decidimos ser aquele que tudo provê, tudo ajuda, tudo auxilia…

… Por não estarmos alinhados e equilibrados mental e fisicamente, acabamos esgotando todas as nossas energias em situações que nos fogem ao controle…

Geralmente quem tudo faz e acaba esgotado emocionalmente, acredita que a sua energia é ilimitada, e possui uma grande confiança em si mesmo.

Essa confiança tão exagerada de quem tudo faz, chega a minar a confiança de quem está perto, que não se sente tão apto a desenvolver uma ação, porque as certezas e a extrema coragem de quem tudo faz, acabam o intimidando e principalmente (o grande dano), o confundindo, e o deixando extremamente inseguro.

Dessa forma, as pessoas acabam preferindo deixar tudo nas mãos desse que se sente confiante para fazer, e que tem grande vontade em ajudar, e dizem: “Ah, deixa ele fazer, ele gosta!” Se a gente não deixar ele fazer e fizermos errado, ele vai pirar!”.

Ahhh esqueci de dizer! Uma pessoa aparentemente muito forte, mas que caba esgotada emocionalmente, é pouco tolerante ao erro alheio.

E quando resolve delegar, fica em cima, não confia nos outros, apenas em si mesmo, e acaba pressionando tanto, que o inevitável acontece, o outro erra, ou não consegue trazer o nível de excelência que ela desejava. Ou toda a paisagem nebulosa que ela havia traçado para o futuro daquele que não quis seguir suas normas, se concretiza, simples e tão somente, porque a pressão que colocou no outro foi tão grande, que o outro acaba desacreditado. E assim, ela continua seu plano de manipulação e controle de tudo e de todos.

Se mete nos assuntos que não foi chamada, quer saber de tudo da vida dos outros, pega problemas que não são seus e tenta resolver sem ser solicitada, mais precisamente de pessoas próximas como filhos, pais, e amigos, e começa a mancomunar situações para que aquelas pessoas mudem de atitude ou façam o que ela quer que eles façam.

A manipulação é tão forte, que as suas energias se acabam. E exige que os outros sejam tão bons quanto ela. E não consegue aceitar que os outros são os outros e que devem ser respeitados em suas escolhas, mesmo que isso não seja o que ela entende ser melhor para eles.

Para um bom entendedor de investimentos financeiros, já que a pessoa propensa a ter um “esgotamento” se preocupa muito com dinheiro, e só acredita que as pessoas são felizes e bem-sucedidas se o possuem, estar esgotado, seria como se só retirássemos o dinheiro (energia) do nosso fundo de investimentos, e nunca retornássemos nenhuma quantia de volta.

Essa perda de energia constante, associada ao orgulho e ao controle excessivo, leva a pessoa ao tal “esgotamento psicológico e emocional”.

A perda de energia leva a perda de vitalidade, que leva a irritabilidade, a insônia… causada pelas preocupações e pela raiva que se acumulam durante o dia.

A perda de motivação, a lentidão dos pensamentos e as falhas de memória fazem com que até os mais fortes, caiam, e conseguem perceber que não caíram por fraqueza?

Caíram porque não buscaram ajuda para si mesmos e porque querem controlar os outros. Porque não acreditaram que suas energias poderiam acabar um dia. Porque querem controlar tudo e todos, porque são orgulhosos demais para reconhecerem que não são um Super Homem, ou uma Super Mulher.

Quando perguntados sobre seus defeitos…. Falam com boca cheia: “Eu sou muito perfeccionista!”.
E quem os conhecem mais de perto sabem, que são os reis e as rainhas do drama. São daquele tipo que te ligam chorando no meio da noite, dizendo que não conseguem dormir e que estão preocupados ou precisam que você entenda “alguma coisa”, que você com certeza não quer entender.

Ou seja, eles acabam abusando, passando dos limites do que é ser prestativo e leal, para serem “impregnantes” e controladores, orgulhosos e presunçosos, pois acreditam saber mais, acreditam que o outro é sempre mais fraco e ignorante, que o outro é frágil, e não conseguem confiar e deixar ele agir como bem entender.

LEIA MAIS: “Tem gente que faz tanta maldade, mas vejo a vidinha que ela leva, e penso: Deixa pra lá”.

E sabe como a insônia aparece? Quando eles acreditam que estão perdendo o controle… E acham que podem ficar planejando ações, pedindo Deus e a quem puder lhe inspirar, a arrumar uma fórmula para fazer as coisas e as pessoas seguirem as suas normas.

E sabe como eu sei disso?

Eu sei porque já “quase” sofri um “esgotamento psicológico”, e sabe como eu sai dessa? Reconhecendo que eu estava sendo orgulhosa e controladora e que deveria imediatamente deixar de ser! Simples assim!

No outro dia já dormi o sono dos justos, liberei as pessoas para serem como elas quiserem ser, não fiz mais “tudo” pelos outros, pelo contrário, os motivei a fazerem e a acreditarem em si mesmos!

Se sente esgotado por ter sido muito forte por muito tempo?

Então entenda: Não é sinal de fraqueza confiar mais em Deus do que em si mesmo. Deixe Deus conduzir as coisas! Você, definitivamente, não sabe o que é melhor para os outros, nem para si, só quem sabe, é Deus!

Pare de querer envenenar uma relação ou uma ação que você acredita não ser ideal para quem você ama, quem é você para julgar isso? Deus sabe o que cada um de nós precisa!

Agradeça a Ele pelo que Ele concedeu ao outro e a você, e aos ensinamentos que Ele está tentando te passar nas entrelinhas.

A gente só cai quando perdemos a confiança em Deus, em nós, e no outro…

Aprenda logo as lições que Deus quer te passar! E pare de sofrer e de fazer os outros sofrerem com o seu “perfeccionismo” doente, e com a imposição das suas vontades.

Saiba que: Todo mal que fazemos aqui, colhemos aqui, ou depois da morte. Mesmo que você acredite estar fazendo o bem para o outro, o pressionando, o fazendo questionar as suas próprias escolhas, na verdade você está apenas criando um mal-estar geral, e esse mal estar é o que você receberá, porque o que a gente emite e vibra é o que a gente merece receber de volta.

Talvez por conta desse excesso de zelo e “amor”, mal-empregados, você esteja se sentindo assim, fraca, desanimada, sem viço, e esteja vendo sua fé e confiança totalmente abaladas!

Repense sua forma de agir no mundo! Repense sua forma de amar! Repense a sua forma de ajudar!

Se o outro diz que não precisa, não faça!

Se o outro diz que não quer, não insista!

Se o outro diz que precisa de um tempo, dê a ele o tempo!

Se o outro diz que é capaz, acredite!

Seja forte e deixe o outro ser forte da maneira dele!

E viva a vida em paz, aprendendo com as problematizações da vida e sabendo que cada um aqui possui o seu dom e a sua missão, e que todos são essenciais, não apenas aqueles que aparentam ser fortes o tempo todo, mas também, aqueles que são autênticos e buscam a felicidade de outras maneiras.

Busque uma terapia, recarregue suas energias! Ser forte requer equilíbrio entre a mente e o corpo, e esse é o segredo para uma vida feliz!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!