As suas palavras são um espelho do que você é por dentro.

Você fala muito, às vezes, nem pensa antes de falar, sai despejando as suas certezas, e se considera sincera, ou você fica quieta, observa e reflete diante das situações da vida?

Se você não consegue ter empatia por si mesmo ou pelos outros, você se torna uma pessoa rígida, e dura em seus julgamentos. Assim, você passa a travar um diálogo com você mesmo e com aqueles com quem você convive que não gera bons sentimentos.

E com o passar do tempo, esses sentimentos negativos vão se acumulando dentro de você.

A compaixão e a misericórdia precisam ser refletidas nas palavras que você usa, tanto para se referir a você, quanto para se referir aos outros, caso contrário, você começa a se sentir mal.

Mas quando você consegue usar as palavras para promover o seu bem-estar e passa a elevar as outras pessoas com elas, você se sente bem. É um ciclo que se perpetua.

Preste atenção em tudo o que você diz, e mesmo quando você não diz, mas pensa, o que essas palavras estão falando sobre você?

Você não é um juíz da vida de ninguém, mas quando você diz algo, você cria uma sentença e gera um comando. As suas palavras precisam gerar bons sentimentos, se você percebe que o que você fala, gera desconforto, é isso que você está criando nas suas relações.

Não é sobre mentir para agradar, é sobre olhar para os pontos fortes das pessoas, e para os seus!

Quando você se coloca nessa posição, você se torna um espelho de amor e gratidão e começa a se sentir bem por contribuir com a elevação de todos. Essa contribuição social é maravilhosa!

As suas palavras refletem quem você é por dentro. Se você escolhe falar coisas que fazem mal a você, ou fazem mal a alguém, mesmo que a sua intenção seja boa, você vai acabar bebendo uma dose letal desse veneno. E depois, você vai ficar se perguntando “por que” você não consegue sair desse estado lastimável que você se encontra.

Se me permite um conselho: Fale bem de você, fale bem dos outros! Use as palavras para gerar sentimentos positivos em você e nas pessoas que estão ao seu redor, quanto mais você fizer esse movimento, mais leve será a sua vida.

As suas palavras podem ser um veneno ou um antídoto, o que você escolhe?

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar. Foto de Stephanie Harvey no Unsplash.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.