Uma nova pesquisa sugere que pessoas que sempre usam emoji são melhores em fazer conexões sociais.

Resiliência Humana

Uma nova pesquisa sugere que pessoas que sempre usam emoji são melhores em fazer conexões sociais.

O que o seu uso de emojis diz sobre a frequência com que você faz se+o e sobre a sua vida amorosa?

De acordo com um novo estudo publicado na revista PLoS ONEmuito o uso freqüente de emoji está ligado não apenas ao se+o, mas também a uma vida amorosa mais ativa e bem-sucedida.

Essas conclusões vêm de dois estudos separados conduzidos por pesquisadores do Instituto Kinsey.

No primeiro estudo, eles analisaram dados de uma grande pesquisa de 5.327 americanos solteiros que foi projetada para refletir a diversidade demográfica dos Estados Unidos.

Os participantes tinham idades entre 18 e 94 anos e a maioria era identificada como heterossexual (87%) e branca (62%).

Os participantes preencheram uma pesquisa perguntando se eles usavam emojis e, em caso afirmativo, por quê. Também foram feitas várias perguntas sobre frequência sexual e a vida amorosa.

38% disseram que nunca, 29% quase nunca, 28% usam regularmente, 3% usam pelo menos um em cada texto e 2,5% usam mais de um em cada texto.

As razões das pessoas para usar emojis variavam e incluíam dar mais personalidade às suas mensagens, facilitando a expressão de sentimentos, tornando a comunicação mais rápida do que digitando e porque está na moda (em outras palavras, porque todo mundo está fazendo isso).

O uso frequente de emojis previa mais relações afetivas, assim como atividade sexual mais frequente.

O segundo estudo foi uma pequena pesquisa on-line com 275 adultos que tentaram replicar e ampliar esses achados.

Os participantes tinham idades entre 18 e 71 anos e a maioria era identificada como heterossexual (84%) e branca (73%).

O uso de emoji foi mais comum nesta amostra; Na verdade, apenas 3% disseram que nunca usam emoticons em suas mensagens.

Como no primeiro estudo, o uso freqüente de emojis estava ligado ao se+o mais frequente. Também estava ligado a ter mais parceiros sexuais no último ano.

Além disso, com relação ao passado recente, os usuários frequentes de emoji tinham mais probabilidade de ter beijado e feito se+o recentemente. Eles também eram mais propensos a ter ido em um segundo encontro e ter entrado em um relacionamento.

É importante notar que existem várias limitações nesta pesquisa, incluindo o fato de que os autores não avaliaram quais tipos de emojis as pessoas enviaram.

Pode ser que diferentes emojis (por exemplo, cara de beijo, cara de demônio, cara sorridente, etc) estão ligados a resultados diferentes.

Da mesma forma, eles só analisaram enviar emojis, não recebê-los. Portanto, também valeria a pena examinar como os emojis são percebidos pelos outros e se algumas pessoas os consideram mais atraentes do que outros.

Com tudo isso dito, o que todas essas descobertas nos dizem?

Nas palavras dos autores da pesquisa, eles sugerem que “as pessoas que usam emoticons com mais frequência podem ser melhores em formar conexões com os outros”.

Eles acreditam que os usuários de emoji são mais emotivos em geral – em outras palavras, não são necessariamente os emojis que estão conduzindo esses efeitos; em vez disso, o uso de emoji pode significar que é a pessoa é mais expressiva emocionalmente, envolve mais auto-revelação e apenas facilita a construção de intimidade.

Todos esses fatores provavelmente servirão de base para um namoro e uma vida sexual mais ativos.

Isso sugere que as pessoas que são resistentes ao envio de emojis por qualquer razão podem estar perdendo conexões valiosas.

*Via Psychology Today. Tradução e adaptação REDAÇÃO Resiliência Humana.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia