As pessoas mais chatas do mundo: As que nunca calam a boca!

Resiliência Humana
beauty black woman making shhh! on the violet background

As pessoas que falam sem parar, são geralmente, as mais chatas do mundo, e estão em estado de agitação patológica ou são vítimas de um egocentrismo sem limites. Em ambos os casos, o falar demais e não dar ouvidos aos outros é um sintoma da sua impossibilidade em estabelecer uma comunicação saudável com os outros.

Existe uma grande diferença em ser comunicativo e ter ataques freqüentes de falar sem parar. Não há nada de errado com algumas pessoas que gostam de falar, mas a verdade é que, às vezes, elas passam do limite aceitável.

Eles falam tanto que, se costurarem a boca, as letras sairiam pelos ouvidos. Eles não podem permanecer em silêncio, a ponto de acabarem falando com a televisão se não encontrarem um parceiro.

Esse comportamento, às vezes, é muito chato para os outros. Eles tentam conversar com eles, mas desistem logo. Não há como fazê-los parar. Eles geralmente escolhem suas “vítimas” com razão. Estes são geralmente pessoas calmas e afáveis, que não se atrevem a pedir-lhes para calar a boca ou deixá-los sozinhos em pleno ataque. É por isso que eles sofrem abnegadamente.

Outro ponto que define esses amantes de verbosidade é o tópico da conversa.

Isso quase sempre tem um eixo definido: eles mesmos.

Aqueles em torno deles têm que suportar uma exposição detalhada de suas opiniões, experiências, apreciações, planos, memórias e tudo, absolutamente tudo o que gira em torno deles. Isso eventualmente acaba esgotando qualquer um. Então, por que eles não podem calar a boca?

“Não posso falar com quem não sabe calar a boca .”-Pitágoras de Samos-

Eles sabem tudo … e mais

Os ataques de fala são muito comuns em pessoas que têm uma característica: eles sabem tudo e muito mais.

Pelo menos é nisso que eles acreditam. Não há assunto em que não tenham entrado ou área em que não tenham opinião para compartilhar. Tudo o que aconteceu no mundo já aconteceu com eles ou está prestes a acontecer com eles.

Embora eles não tenham estudos sobre um assunto e tenham lido pouco sobre o assunto, eles não têm problemas para ensinar.

Agora, se eles conhecem o assunto e têm um título relacionado, o assunto parece ainda pior. Eles são como um seminário itinerante, que pontifica e oferece dados minúsculos que ninguém está pedindo.

Eles podem se tornar um verdadeiro pesadelo.

Esses tipos de pessoas adoram palavras estranhas e discursos floridos. De alguma forma, é como se eles sentissem que o mundo inteiro é um grande público que está expectante sobre o que eles irão compartilhar.

Eles não acreditam que tenham algo para aprender com os outros. Por outro lado, sua intenção subjacente é ensinar. Basicamente, eles querem ser o centro das atenções e mostrar-se.

Solta o verbo

Verbiage é um mal daqueles que tentam projetar uma imagem de iluminados. Há também aqueles que não querem dar palestras sobre todos os tipos de questões, mas precisam informar os outros sobre suas vidas inteiras ou de outras pessoas. Eles colocam uma ênfase excessiva em qualquer evento cotidiano e o narram detalhando até mesmo o menor aspecto, como se fosse de importância transcendental.

Há também aqueles que assumem que o tempo todo você está pedindo uma opinião ou conselho. Assim que você começa a fazer um comentário sobre algum aspecto de sua vida, e imediatamente se desfaz em apreciações, diagnósticos e conjecturas sobre o que acontece em sua vida, o que você deve fazer, as causas, as consequências e tudo o que vem à mente. O mesmo acontece com aqueles que decidem reclamar sem parar.

O problema é que, quando você tentam falar, não consegue. A outra opção é passar pela desagradável situação de pedir que calem a boca. Eles dificilmente escolherão se calar e decidir passar alguns momentos a escutar.

O que fazer com uma verborreica?

Uma pessoa que fala sem parar, esse seu estilo de comunicação com os outros poderia ter um distúrbio psicológico, ou simplesmente um egocentrismo ilimitado. Este último não pode ser classificado como um distúrbio em si, mas definitivamente não é um sinal de saúde mental.

Existem alguns estados de mania, ansiedade ou agitação que levam a falar, falar e falar. O discurso sem descanso é uma maneira de expressar essa angústia.

Sua inquietação impede que eles se calem e / ou escutem. Seu discurso é compulsivo e muitas vezes confuso. Eles podem passar de um tópico para outro sem uma conexão.

Nesses casos, ouvi-los pode ajudar. Talvez seguir o seu discurso com comentários possa ser uma atitude que o ajude a se acalmar.

No caso do egocêntrico, que é o mais frequente, o que acontece é que a pessoa não desenvolveu as ferramentas psicológicas para estabelecer uma comunicação de mão dupla. Ele desenvolve um monólogo e até fala a fala dos outros. Colocando palavras em sua boca. É uma verdadeira audiência. Nesses casos, é melhor não emprestar os ouvidos e nem fazer parte do seu jogo narcisista.

*Com informações de La Mente és Maravillosa. Livremente traduzido e adaptado: REDAÇÃO RESILIÊNCIA HUMANA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia