A arte de pensar positivo para viver melhor

Resiliência Humana

Pensar positivo e ter um maior controle sobre o fluxo de nossos pensamentos é investir em qualidade de vida. Porque aquele que controla a voz da negatividade é capaz de influenciar diretamente as suas próprias emoções. Porque quem pensa e sente positivamente influencia seu comportamento, seu organismo, e inclusive sua própria saúde. No final das contas, a felicidade parte do que ocorre dentro de nós mesmos, não de fora.

Apesar de todos sabermos destes princípios, no nosso dia a dia continuamos a dar importância demais para esta voz crítica que ama a negatividade. É ela quem nos lembra dos erros de ontem. É essa presença que nos coloca para baixo, nos levando às portas da ansiedade, nos antecipando o que pode ou não ocorrer se fizermos isto ou aquilo. Antes de nos desesperarmos por causa deste tipo de pensamento que muitas vezes nos caracteriza, vale a pena ter um ponto muito claro.

“Nenhum pessimista jamais descobriu os segredos das estrelas, ou abriu uma nova porta para o espírito humano”.
-Helen Keller-

Os neurocientistas nos lembram que o cérebro humano está programado para concentrar-se no negativo. Não é uma maldição nem um castigo impresso em nosso DNA. É nosso mecanismo de sobrevivência. Ao antecipar os perigos (ainda que eles não sejam reais), preparamos nosso organismo para nos defender deles. Sensações como a preocupação, a inquietude ou a ansiedade liberam instantaneamente diversas substâncias químicas como o cortisol, para permitir que estejamos sempre “alertas”.

Por outro lado, outra coisa que os neuropsicólogos também nos indicam é que os pensamentos negativos atuam como o hábito de fumar. Não só impactam a nossa saúde e bem-estar. Muitas vezes ficam impregnados à nossa volta, afetando nossas famílias, amigos, colegas de trabalho… Porque o cérebro daqueles que nos escutam também sofre mudanças, também acaba se sentindo nervoso e irritável…

Aprendamos, portanto, a pensar positivo, invistamos em qualidade de vida começando por treinar nossos pensamentos.

Pensar positivo para treinar seu cérebro em direção ao bem-estar

Barbara Fredrickson é uma conhecida cientista da Universidade de Stanford, famosa pelos seus estudos em psicologia positiva. Assim como nos explica em seus estudos, superar a influência da negatividade é um desafio que, uma vez vencido, se transforma em um investimento rentável. Mais que uma arte, pensar positivo é o resultado de um exercício contínuo com o qual se busca modificar a programação de “fábrica” do nosso cérebro.

Como já sabemos, a nossa mente tem uma inclinação natural para focar o lado negativo a fim de garantir a nossa sobrevivência. Portanto, devemos conseguir incluir dentro de nós um outro caminho, um outro programa sofisticado para investir não apenas em enfrentar os riscos, mas também para investir em bem-estar, em felicidade. No final das contas, o pensamento positivo gera clareza, equilíbrio e direção. Nos ajuda a não nos perdermos nos pântanos do medo para sermos mais proativos, mais seguros de nós mesmos.

Vejamos a seguir como podemos treinar nosso cérebro para que aprenda a pensar positivo.

1 . Treine sua atenção para que ela esteja focada no presente

Daniel Goleman lembra a importância de treinar nossa atenção em seu livro “Focus”. Devemos vê-la quase como um músculo, uma entidade que devemos colocar a nosso serviço, e não a serviço de uma mente errante. O objetivo é o de que este processo psicológico básico esteja mais controlado por nós mesmos do que por estímulos externos ou por um pensamento anárquico.

Como curiosidade, vale lembrar que o circuito do pensamento se estende ao longo do giro do cíngulo superior e do córtex medial pré-frontal. Nossas racionalizações fluem através destas estruturas cerebrais. Às vezes esse caminho de células, conexões e neurônios está tão hiperativo que é difícil ter controle sobre ele. Em pouco tempo aparecem o esgotamento, o estresse, a apatia, a negatividade…

Uma maneira de controlar o pensamento é controlar a nossa atenção. Para conseguir isso, não há nada melhor do que “desconectar” esse fluxo de pensamentos. Durante pelo menos 15 minutos tentemos não pensar em nada. Imagine a superfície de um lago, silenciosa e lisa como um espelho. Tudo está em equilíbrio, não há sons. Somente calma.
Uma vez que possamos silenciar a voz dos pensamentos, concentraremos nossa atenção no que está nos envolvendo. No momento presente.

2.Pensar positivo, a arte de ter um propósito

Pensar positivo exige ter um propósito. A negatividade e todo esse barulho de pensamentos inviabilizantes são como um ciclone sem rumo que leva tudo embora. Portanto, para romper com essa tendência mental improdutiva é preciso definir o nosso propósito.

Quero me sentir bem, quero ter calma, quero alcançar meus objetivos, quero estar bem comigo mesmo…

Todas estas metas seguem uma direção, um sentido claro. Assim, e uma vez que tenhamos nossa atenção focada no momento presente, o que faremos é enumerar os nossos propósitos um por um, com convicção. A definição de objetivos é uma chave para o bem-estar, é dar sentido à vida, é se fascinar e deixar que essas emoções positivas influenciem a nossa conduta.

3.Treine a capacidade do seu cérebro para trabalhar com informação positiva

Pensar positivo não requer apenas foco, atenção adequada, propósitos e vontade. Requer também construir redes em nosso cérebro para recordar a importância de trabalhar com a informação positiva. O que queremos dizer com isso? Basicamente que, ainda que digamos a nós mesmos: “tenho um objetivo a cumprir”, nossa mente às vezes segue posicionada em mecanismos antigos, numa rota de ações negativas e inviabilizantes.

Para trabalhar com informação positiva é preciso eliminar nossas atitudes limitantes.

Além disso, é preciso criar um eu mais relaxado, mais aberto às experiências e mais otimista. Devemos deixar os erros do passado de lado para poder ver as oportunidades do presente.

Da mesma forma, será muito importante aprender a utilizar filtros para ficarmos apenas com a informação útil, aquela que ajuda e que estimula, e não aquela que nos coloca mais uma vez na nossa zona de conforto.

Para concluir, sabemos que pensar positivo sem dúvida nos permite viver melhor e aproveitar um equilíbrio interior adequado. Agora, o “pensamento positivo” exige também um profundo trabalho pessoal. Devemos nos reconciliar com nosso “eu” presente para nos sentirmos merecedores de algo melhor. Somente assim nosso “eu” futuro se consolidará como alguém mais forte, mais criativo e mais amável consigo mesmo.

FONTEA Mente é Maravilhosa
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

COMENTÁRIOS