Aprenda a controlar a ansiedade antes que ela te controle

Gisele Lacorte

A maioria das pessoas já experimentou o medo perturbador que vem junto com a tentativa frustrada de controlar a ansiedade. A luta interna é ferrenha, e mesmo tentando muito, a frustração encontra abrigo quando o pensamento acusa que não vai conseguir resistir.

Um pouco antes daquela apresentação importante onde você terá que falar em público as suas mãos começam a suar, a sua garganta fecha, um pigarro estranho que nunca aparece resolve dar as caras, e essa insegurança aparece constantemente, ao criar expectativa para uma viagem, ao se aventurar em um novo relacionamento, ou até mesmo quando está tentando se fazer entender em uma conversa aparentemente amigável com alguns amigos.

Todas essas situações podem ser entendidas se compreendermos qual a diferença entre ansiedade e medo

Quando sentimos medo de alguma coisa ou alguém, nosso corpo imediatamente reage tentando lutar contra isso, como se nos dissesse: Você deve lutar ou fugir.

No medo, sabemos o que tememos: uma rua escura, uma cobra, uma arma, uma determinada pessoa… A situação fica clara e podemos nos afastar do estímulo causador do medo.

Já a ansiedade, é um medo de algo indefinido, de uma coisa que não se pode explicar, chamado de estímulos aversivos internos. Não sabemos ao certo o que está causando a ansiedade, e isso impede que tenhamos a opção de nos afastar do estímulo causador da mesma.

Aprenda a identificar os sintomas da ansiedade:

Pensamento: o pensamento fica acelerado, as preocupações ficam exacerbadas, atividades corriqueiras passam a parecer bastante desafiadoras, a clareza do pensamento vai embora e a capacidade de julgamento dos fatos fica bastante abalada. A sensação de medo pode se tornar tão forte a ponto de incapacitar a pessoa de se relacionar, viajar, trabalhar, dirigir, entre outros;

• Comportamento: Andar de um lado para o outro, roer unhas, fazer gestos repetitivos, balançar as mãos e pés e sentir-se completamente inquieto;

• Fisiológico: Sudorese, boca seca, até o cheiro de nossas secreções corporais ficam alterados pelo excesso de ansiedade. Taquicardia, sensação de tremor, e agitação interna, náusea, sensação de vazio no estômago, tensão corporal, sensação de dormência no corpo.

De acordo com Landeira Fernandez e Antonio Pedro de Mello Cruz, sob o efeito da ansiedade, nosso sistema hormonal jorra agentes químicos na corrente sanguínea, capazes de ativar glândulas do corpo inteiro. Estas reações potencializam o organismo para reações de luta ou fuga.

QUANDO A ANSIEDADE COMEÇA A PARALISAR A SUA VIDA

Se a sua ansiedade está fora de controle e você está acreditando que é normal viver angustiado, deprimido, tensionado, comendo muito ou pouco, e passando noites e noites sem dormir, te digo!

Não! Isso não é normal e você precisa de ajuda, urgente!

Nestes casos, procure um psicólogo, um bom psicólogo te dará o suporte necessário para que você possa aprender a administrar a sua ansiedade e a lidar com os sintomas. Com o decorrer do tempo,o psicólogo também te amparará montando todo um processo de investigação e de limpeza interna, e te auxiliando a rever e ressignificar histórias mal resolvidas do passado, fatores esses que poderão ser determinantes para que essa ansiedade seja resolvida, ou amenizada.

Como saber a hora de procurar ajuda?

1 – Investigue: Como já vimos anteriormente,a ansiedade aparece por um motivo interno, portanto, quando nos sentimos ansiosos, é importante recorrer a uma auto-investigação, para entender o que está nos trazendo ansiedade.

2 – Faça atividades que exijam um autoconhecimento: Se o seu nível de ansiedade for leve e ocasional, você poderá dispor de muitas ferramentas para amenizar os desconfortos que este sentimento traz como, exercícios físicos, meditação, trabalho de respiração, yoga, reike, aromaterapia, florais de Bach, homeopatia e terapia. Todos eles podem lhe ajudar no controle e redução da ansiedade.

3- Procure uma rede de profissionais multidisciplinar: Se o seu nível de ansiedade já está causando danos e muito sofrimento, pode – se fazer necessário uma rede de profissionais multidisciplinar para apoiar esta pessoa: Psicólogos, psiquiatras, médicos homeopatas, terapeutas florais, nutricionistas, profissionais das áreas de atividades físicas.

Esta rede de apoio pode ser de muita importância na restauração do bem estar e qualidade de vida da pessoa que ainda sofre com os males da ansiedade.

Não há um único caminho, mas você pode se permitir experimentar alguns dos recursos citados acima eles podem te ajudar no autoconhecimento, no controle da ansiedade e na melhoria da sua qualidade de vida.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Gisele Lacorte
Psicóloga clínica, terapeuta corporal, consteladora familiar e orientadora profissional. Escritora e facilitadora de workshops, palestras e grupos terapêuticos que visam auxiliar as pessoas a reconhecer e ativar sua potencia de realização e alegria de viver através da reconexão com a sua verdadeira essência, do profundo cuidado com o sentir e com o poder de expressar suas emoções mais genuínas. Desenvolve trabalhos personalizados para grupos e empresas.