Ao amor que virá… Eu sei que você existe.

Marian Koshiba

Eu sei que você existe. Eu tenho que acreditar que você existe…
Meia noite. Olho pela janela e vislumbro seu manto negro de brilhos vacilantes. Fico imaginando o que você está fazendo… Se está na mesma latitude, longitude, fuso horário… Se você tem sentido o peito sendo esvaziado, cada vez mais profundamente, por cada tentativa frustrada de me encontrar em outras bocas, cheiros e gostos… Se você se sente perdido ao buscar meu rosto na multidão… Fico pensando se você pede baixinho, com a cabeça no travesseiro, que eu apareça na primeira esquina que você cruzar… Se você já me viu te visitando em sonho…

Fico pensando se você desfoca o olhar, mexendo seu café na xícara, com um livro na mão, enquanto a chuva arrefece a temperatura na esperança de amores melhores.

Penso se você tem momentos de quase enlouquecimento, em que a solidão esfaqueia sua racionalidade, perguntando a si mesmo se eu não sou apenas um devaneio, um sonho idealizado, que nunca acontecerá.

Fico pensando se você tem alucinações imaginativas de mim, minhas curvas sombreando seu edredom à meia luz do fim da tarde, minha voz soprando poemas a 1 cm do seu ouvido, minhas pernas enroscando as suas numa manhã preguiçosa, minhas músicas soando nos acordes do seu violão, meu beijo terno em sua testa, embriagando-me no cheiro dos seus cabelos.

Fico a me indagar se você também tropeça, sôfrego, pelas noites, esforçando-se para perder a sanidade e assim tornar-se inconsciente da dor e da falta.

E se depois você busca encontros fortuitos e superficiais, na frustrada tentativa de transbordar seu peito de um amor que não está sendo servido naquelas interações superficiais, saindo de toda aquela farsa mais desolado do que entrou.

Fico pensando se você acredita que eu vou aparecer, assim como eu acredito que você virá, com um sorriso sincero, braços acolhedores, e uma saudade acumulada de uma vida inteira aguardando o que ainda sequer conhecia.

Ainda te espero. E tem sido cada dia mais difícil fechar os olhos à noite sem ter você repousando ao lado. Mas eu sei que você existe. Eu tenho que acreditar que você existe.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS




Marian Koshiba
Formada em Direito, escritora por necessidade de alma, cantora e compositora por paixão visceral. Só sabe viver se for refletindo sobre tudo, sentindo o mundo à flor da pele. Quer transmitir tudo que apreende (e aprende) por todas as formas criativas possíveis.