Hoje, só quero por perto, gente humilde e de sorriso fácil!

Sil Guidorizzi
ando-devagar-porque-ja-chorei-demais-hoje-quero-estar-perto-de-gente-humilde-e-de-sorriso-facil

Ando devagar porque já chorei demais. Hoje, só quero por perto, gente humilde e de sorriso fácil! Prefiro não falar mais do que passou; prefiro seguir nesta estrada construindo meu lugar ao sol.

O tempo de espera também já não cabe mais na minha sala, na porta de entrada, nas paredes, agora renovadas.

Tudo que causa dor permanece longe do meu coração.

Todo dia estou me emprestando para que eu possa acreditar mais em mim, para que eu possa ter certeza de que já posso pisar em novos lugares sem medo de tentar novamente.

Não há deserto que me faça transpirar além do que devo, não há sentimento de posse depois que aprendi a deixar ir.

Nada é meu, nem as palavras que me feriram, nem os vazios sem mobília, sem alma, sem calma, sem abraço pra acalmar.

Prefiro deixar o dia de hoje se revelar como profecia sagrada, prefiro não me desgastar por quem já foi.

Nessa sintonia de Deus, onde deposito meus bilhetes de gratidão, onde me renovo trazendo a fé para andar comigo, sou mais eu.

Quero estar perto de gente com humildade e sorriso fácil, sem armas de indiferença ou desprezo nas mãos.

Quero caminhar sem aperto nos pés, sem garantia de nada, sem viver querendo jogar pessoas no abismo.

Para tudo há sempre o início, a partida, a volta para casa depois de dias de inverno ou solidão.

Não importa; o trajeto de cada um é diferente, mas por vezes esbarramos com almas solícitas e de boa energia, esbarramos com àquele algo a mais que nos dá a sensação de que é hora de trocar sentimento útil e pleno.

Deus faz tudo certo, faz tudo calculado para que cada um possa absorver mais de si mesmo e aprender com as próprias experiências.

Só quero me sentir bem, só quero sair e cuidar do que preciso.

Eu não tenho domínio de nada; tenho o lugar que vivo; quero ser mais gentil com ele, quero ser respeitosa com meus momentos de trégua e calmaria mental.

Deus é comigo, é meu dia de sol e calor, meu dia de bênção e suporte espiritual.

Quando a brisa vem, e encosta dizendo que está tudo bem, é porque já atravessei a parte mais arenosa do meu caminho.

Eu não tenho uma história de amor; tenho fragmentos de saudade espalhados pelos cantos da vida.

Tenho coragem, mas não para qualquer pessoa.

Tenho mais de mim porque me juntei dentro das vivências do tempo.

Não me iludo, não sou mais a mesma.

Sou a medida exata do que me desejo.

O coração deslancha quando há esse instigar me desabotoando por dentro, quando olho no espelho e vejo tudo que sobreviveu em mim.

Lá fora há um exército de imprecisões e passagens pro agora.

Não vou à forra, não poso de louca; nem tudo me convence.

A vida me deu discernimento e mais experiência emocional.

Eu não tenho pretensão de acelerar os propósitos do tempo.

Ando devagar porque já chorei demais.

Está tudo bem.

Me aproximo com um sorriso e me afasto quando percebo o mínimo desprezo, simples assim!

*Foto: Reprodução/swiss-smile-beauty

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Sil Guidorizzi
Sou Paulista, descendente de Italianos. Libriana. Escritora. Cantora. Debruço-me sobre as palavras. Elas causam um efeito devastador em mim. Trazem-me â tona. Fazem-me enxergar a vida por outro prisma. Meu primeiro Livro foi lançado em Fevereiro de 2016. Amor Essência e Seus Encontros pela Editora Penalux. O prefácio foi escrito pelo Poeta e Jornalista Fernando Coelho. A orelha escrita pelo Poeta e jornalista Ivan de Almeida. O básico do viver está no simples que habita em mim.