Amor entre Cães e donos é como o amor de mães e filhos, diz estudo

Iara Fonseca

Para quem possui cães em casa essa afirmação já é conhecida, e não precisaria de um estudo científico para provar que o amor que sentem por seus animais de estimação é tão intenso quanto o amor de uma mãe para seu filho.

Apesar de todos os donos de animais concordarem, muitas pessoas achavam um absurdo essa comparação. “Filhos não são como cães, diziam!”

Muitos também criticam as pessoas que tratam seus animais como filhos, e que preferem não ter crianças em casa, apenas seus animais.

A pesquisa realizada pela Universidade Azabu, do Japão vem confirmar que o vínculo é construído a partir de um processo hormonal ativado quando se olham, que funciona de modo muito parecido ao que se dá entre mãe e filho.

Ao se olharem, donos e animais, ativam os níveis de ocitocina no cérebro, hormônio relacionado a conduta paternal e maternal.

A ocitocina atua também como neurotransmissor no cérebro e tem um papel importante no reconhecimento e estabelecimento de vínculos sociais, bem como na formação de relações de confiança.

Para fazer o estudo, os donos e seus “filhos” foram colocados em um quarto por 30 minutos estabelecendo contato visual, e o que foi descoberto através do estudo de urina é que os níveis de ocitocina de ambos, aumentaram consideravelmente

Posteriormente, os pesquisadores passaram ocitocina no fucinho dos cachorros e os deixaram no mesmo ambiente que seus donos e outros desconhecidos por 30 minutos, o resultado foi que os animais olhavam fixamente para seus donos e após um período os donos revelaram também um aumento de ocitocina.

A conclusão foi que o amor entre cães e seus donos é tão intenso quanto o amor que sentem os pais e os filhos, e esse amor deve ser respeitado, porque ele existe e é muito forte.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!