Amigo(a), como não lhe chamar de família, se é tudo que você tem sido?

Luciano Cazz

Amizade é entendimento, não concordância. É perdoar em vez de esquecer. É memória que se acha, apesar de se perder na distância. Se você tem amigos especias, Compartilhe. Eles merecem saber disso.

Acho que nunca usei de palavras e gestos para lhe mostrar o quanto você é importante para mim, meu amigo. Ou talvez, simplesmente, não existam maneiras suficientes de tornar visível um laço que é dado com a alma.

Mas faz tempo que você chegou na minha vida e, nem tão inesperadamente, permaneceu. Entre tantas foi uma das únicas pessoas que ficou sem titubear, porque amigos se escolhem independente de laços de sangue. Se unem por afinidade, por parceria. E eu o escolhi e acredito que você também me escolheu.

Não consigo desabafar com os outros, parece que não me entendem como você. Minha alma não se aquieta se não são os seus ouvidos, os seus conselhos. Você que sabe escutar até meu silêncio. É quem vê a dor nos meus olhos, enquanto todos acreditam no sorriso dos meus lábios. E quando não consegue me levantar, deita-se ao meu lado para me animar.

Parece que, se não te contar sobre minhas conquistas, elas não acontecem de verdade. É com seu abraço que minhas vitórias se tornam reais no meu coração. Que cada esforço a mais vale a pena. Confesso até que, às vezes, faço as coisas pensando em quanto vão deixá-lo orgulhoso de mim.

Obrigado por estar aí esse tempo todo. Por vibrar comigo. São raras as pessoas que não se incomodam com o sucesso dos amigos, por isso, quando vejo o brilho dos seus olhos admirados, meu coração se enche de certeza da palavra amizade.

Obrigado também por me ouvir até altas horas da madrugada. Por me ajudar a caminhar na estrada da vida sendo meu apoio e meu incentivo. Pelos corações partidos, cujos cacos você juntou e ajudou a colar. Pelo ombro amigo que já deve ter o contorno do meu rosto. Pelos galhos quebrados que, pela quantidade, já podem influenciar no desmatamento.

Obrigado por me tirar de várias frias. Por me defender mesmo quando eu estava errado. Por me proteger dos covardes que se aproveitam da ausência para nos ferir pelas costas. Obrigado por tudo que você me emprestou, suas roupas, alguns trocados, seu tempo, pela sua companhia e seu carinho. Pelos almoços e jantares. Obrigado pelas risadas que, muitas vezes, já custaram a parar. Pelos momentos “fora da casinha” e pelas mais divertidas furadas que você me colocou.

Obrigado por aturar os meus defeitos e manias. Por perdoar meus erros. Por gostar de mim exatamente como eu sou, mas sem deixar de me auxiliar a ser uma pessoa melhor. Porque quando me vejo perdido em meio aos julgamentos alheios, o que me acalma é saber que você sabe quem eu sou de verdade. Obrigado por acreditar em mim, por achar que eu mereço o mundo e estar sempre disposto a me ajudar nessa conquista.

Nossas vidas podem tomar outros rumos, mas nossos corações permanecerão para sempre no mesmo lugar onde habita a verdadeira amizade e o raro afeto entre dois amigos que a vida tornou irmãos. Confesso que, hoje, nem lembro do tempo que a vida era sem você. Por isso, aonde ela for, sei que sempre vamos nos encontrar novamente.

Então, meu amigo, queria lhe dizer que existem pessoas que nos fazem rir um pouco mais alto, que colocam mais brilho em nossos olhos e fazem nossa vida um pouco mais feliz. E você é uma delas. Você preenche minha existência com sua presença e mesmo quando me sinto sozinho, eu sei que não estou. Posso não estar perto, mas sempre estarei por você. Afinal, como não lhe chamar de família, se é isso que você tem sido o tempo todo?

Na vastidão de espaço desse mundo e do tempo infinito do universo, sou extremamente grato por ter ocupado, ao mesmo tempo, o mesmo espaço que você no dia em que nos conhecemos. Alguns podem dizer que foi coincidência, mas, no meu coração, vive a certeza de que foi, na verdade, um lindo presente da existência, um reencontro, já há muito tempo marcado por Deus…

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Luciano Cazz
"Luciano Cazz é publicitário, ator, roteirista e autor do livro A Tempestade depois do Arco-íris."

COMENTÁRIOS