Algumas coisas que aprendi sobre amigos, dinheiro e negócios

Sobre amigos, dinheiro e negócios.

Kassia Luana

Quando comecei a trabalhar, tinha 17/18 anos, não tinha muita experiência com nada, era imatura na vida pessoal e também na profissional. Apesar de externamente parecer forte e até petulante, como uma adolescente geralmente é, por dentro eu não passava de uma menina inexperiente, carente e altamente manipulável.

Por inexperiência, misturava muito amizade com trabalho. Só para citar algumas bobagens que fiz, não cobrava por serviços, ou cobrava preços ridículos, fazia mais do que me pediam, emprestava dinheiro, nome, cartões, cheques. E não preciso nem dizer que nunca deu certo.

Agora, pouco mais de 15 anos depois, aprendi muitas coisas. Da maneira mais dura, é claro: quebrando a cara. Para algumas pessoas, esse é o único modo de aprender; para outras, e é justamente para essas que estou escrevendo, ver o erro dos outros ajuda a não evitar os seus.

Tive de fazer mudanças drásticas e, nesse percurso, perdi muitos “amigos”, principalmente quando amadureci e aprendi a me impor e a dizer “não”. Ouvia sempre: “nossa, como você mudou”, “mas antes podia”, “faça pela nossa amizade”… Amigos respeitam você e seus limites, essa foi uma das coisas que aprendi.

Abaixo, listo mais algumas coisas que aprendi sobre amigos, dinheiro e negócios:

  • Antes de negociar com alguém do seu convívio pessoal, deixe claro que negócios são negócios. Advirta que é muito importante separar e esclarecer muito bem qualquer dúvida que surja, para que a relação profissional não interfira na relação pessoal.
  • Se a pessoa não respeita ou aprecia o seu trabalho, nem comece! Se o argumento para “convencer” você a fazer o serviço é “vou fazer com você porque você é minha amiga”, já se prepare para ouvir lamentação sobre preço, receber ligações fora de hora e ouvir comentários desnecessários.
  • Nunca faça nada de graça para quem pode pagar; a cobrança vai ser a mesma e o estresse pior do que um cliente tradicional. Valorize seu trabalho ou ninguém fará isso por você.
  • Acordos são feitos antes do início dos trabalhos, não no meio, não depois. Antes! Preço, horários, prazos…, tudo deve ser acordado antes de o trabalho ser iniciado.
  • O horário de trabalho deve ser delimitado. Mensagens às duas da manhã, por exemplo, são inadmissíveis. Determine um horário de trabalho e respeite-o.
  • Faça contrato sempre. Amigo de infância, parente, familiar, vizinho…, não há exceção. Faça contrato sempre! É seguro para as duas partes. Explique que é um procedimento-padrão e que você não vai abrir exceção.
  • Consulte sempre um advogado de confiança antes de tomar qualquer decisão de cunho profissional. O advogado deve ser da sua confiança e não da outra parte. Ouça-o!
  • Não assine nada sem ler. Nunca! Leve o documento para casa, revise-o com calma, no seu tempo, tire dúvidas e, somente quando se sentir seguro, assine-o.
  • Não venda fiado nunca, em hipótese alguma. Adquira uma máquina de cartão, receba um cheque da pessoa, qualquer coisa, mas não venda fiado!
  • Não financie nada em seu nome para ninguém nem empreste cartão de crédito. Não assuma um risco desse nível por uma pessoa que, visivelmente, não tem o nome para fazer isso. Algum motivo existe, correto?
  • Não empreste dinheiro nunca! Dê, doe, mas não empreste. Você vai perder as duas coisas: o dinheiro e o amigo e, para completar, vai virar o vilão terrível da história.
  • Salve toda e qualquer conversa e documentação em um local específico, pois hora ou outra poderá ser útil (e, pela minha experiência, vai ser!).
  • Não faça permuta, a não ser que seja estritamente útil e indispensável para você. Não faça pelo outro, mas por você! E deixe claro que será só dessa vez, não se repetirá. Cumpra sua palavra!
  • Maneire nos descontos, não vá além do que você pode, nunca. Primeiramente, porque se você desvaloriza seu serviço/produtos, está dizendo ao outro que estes não valem tanto. Em seguida, porque vira um terrível hábito e, quando você tentar corrigi-lo, será tarde demais e não vai conseguir. As pessoas para as quais você mais cede são as que mais lhe darão estresse num futuro próximo.
  • Aprenda a dizer “não”: não posso, não aceito, não quero, não vou… As pessoas o respeitarão muito mais!

Desejo que você descarte as informações que não forem úteis e utilize apenas as que lhe servirem. Acredito no seu sucesso e potencial! Em seguida, digo que, se passou por algumas situações como as citadas acima, pode reverter o jogo e não repetir tais erros. Sempre há tempo!

Não se julgue tanto!

COMPARTILHAR




COMENTÁRIOS




Kassia Luana
escritora, promotora de vendas e divulgadora Seicho No Ie (SNI). Apaixonada pela vida, acredito na auto cura, na gratidão e amor ao próximo.