Aceite. Toda mudança exige um pouco de sacrifício.

Idelma da Costa

Aceite o que acontece, toda mudança exige um pouco de sacrifício.

A energia que move o mundo é capaz de transformar, promover mudanças, mover montanhas, aproximar as pessoas de maneira inédita, de operar grandes feitos e até mesmo grandes milagres.

A energia atrai as pessoas com a missão de acrescentar algo e de fazer o bem.

A partir do momento em que as pessoas ao nosso redor começam a nos causar incômodo, a ponto de vir a prejudicar de alguma forma nossa paz, nossa tranquilidade e nossa saúde, enfim, que começam a infernizar nossa vida, o Universo conspirará a nosso favor, fazendo com que nossa energia repila para bem longe.

E para isso não precisamos fazer absolutamente nada.

As situações comandarão para que haja o afastamento natural e espontâneo, seja no serviço, no seio familiar, bem como na turma de amigos.

Quer dizer que a contribuição para um bem maior de vantagens já foi concretizada e se esgotou.

A missão cumprida abrirá o leque do abrir o horizonte para o seguir em frente com novas experiências, novos aprendizados com nova visão do mundo.

Abrirá para a entrada de novas pessoas em nossas vidas com um novo olhar sobre tudo.

Quando alguém especial já deixou sua contribuição, fazendo-o sorrir, ajudando de alguma forma seja qual for a situação, quando for a hora dela partir de sua vida, deixe-a ir sem tentar impedi-la e sem criar caso.

A bagagem dela já acrescentou tudo o que poderia acrescentar.

O momento agora é de desocupar espaço para outra pessoa chegar com novas bagagens que dará continuidade ao seu crescimento. Aceite!

Não podemos nos acomodar em círculos viciosos que não nos somará em mais nada.

Sabe aqueles mal entendidos que nos deixam sem chão e ofendidos?

Essa é a advertência enviada pelo Universo para deixar aquela pessoa partir.

Aceite!

Impedi-lo só causará dor e para ambos os lados.

A vida dará sinais para você aceitar e será um atrás do outro, até você conseguir cair na real.

Não insista no mesmo erro.

Aprenda a ouvir aos pequenos avisos.

Não deixe virar bola de neve e nem permita que o mundo volte contra você.

Partidas doem, mas são necessárias.

É melhor deixá-lo partir na primeira oportunidade e preservar o bom relacionamento e a amizade cultivada do que tentar aprisioná-lo em relações tóxicas a ponto de fazê-lo sentir mal e perdê-lo de vez. E o que é pior colocar tudo de bom construído à base de muito esforço, muita sinergia, muita química e muita afinidade.

Quando a sensação de dever cumprido chegar, seja grato e pronto.

Vida que segue.

Aceite!

Não insista em erros reiterados.

Não transforme o amor em ódio.

Ele contribuiu para concretizar uma fase de sua vida e te preparou para outra ainda melhor.

Ele favoreceu para sua evolução.

“Dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço”.

É necessário um partir para que o outro chegue.

Isso tem um propósito maior e melhor.

Quanto mais benefícios uma pessoa fez em sua vida, mais especial ela será e mais difícil será aceitar sua partida.

É difícil, mas é necessário para um bem maior.

Toda mudança exige um pouco de sacrifício. É necessária para o nosso crescimento, amadurecimento e evolução.

Aceite!

Mantenham e preservem todos os benefícios trazidos.

Não levem a mal.

Faz parte!

Vida que segue.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Idelma da Costa
Idelma da Costa, Bacharel em Direito, Pós Graduada em Direito Processual, Gerente Judicial (TJMG), escritora dos livros Apagão, o passo para a superação e O mundo não gira, capota. Tem sido classificada em concursos literários a nível nacional e internacional com suas poesias e contos. Participou como autora convidada do FliAraxá 2018 e 2019 e da Flid 2018.