Aceite, que dói menos. De nada adiantará reclamar.

Idelma da Costa
aceite-que-doi-menos-de-nada-adiantara-reclamar

Aceite, que dói menos. De nada adiantará reclamar. Murmurar não resolverá problema algum. Deixará você e o ambiente mais pesado, afastando as pessoas.

Ninguém gosta de conviver com gente tóxica, faz mal.

Quando tudo parecer perdido, respire fundo, conte de um até dez.

Exercite sua paciência, pois não há mal que sempre dure. Por pior que seja a situação, vai passar.

Acredite!

Confie na força que existe em você, que te ajudará a vencer qualquer desafio inerente à vida.

Depois da tempestade, vem a bonança e tudo voltará para o eixo da normalidade, porém com um plus a mais.

Você sairá mais forte e sentirá gratidão com pequenas coisas que passavam desapercebidas.

Saberá dar mais valor as coisas que realmente valem a pena.

Desfrutará da vida com mais leveza e alegria.

Terá um novo olhar sobre tudo e principalmente terá mais cautela para não reincidir sobre os mesmos erros.

Aprenderá a deixar as bagagens que não acrescenta de lado.

Ficará mais sereno ao sentir a paz inundar o seu ser.

A energia para viver com plenitude virá com tudo.

Saberá aproveitar como ninguém tudo de bom e do melhor e fará questão de testemunhar e compartilhar o arco-íris, lindo e cheio de cores, sinal da aliança de Deus para conosco, o divisor de águas.

O passado ficará para trás, o presente apresentará como nosso maior presente que é a dádiva da vida e o futuro a Deus pertence.

Apenas uma questão de fé para conseguir seguir em frente sem olhar para o que passou.

Aceite! De nada adiantará reclamar.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Idelma da Costa
Idelma da Costa, Bacharel em Direito, Pós Graduada em Direito Processual, Gerente Judicial (TJMG), escritora dos livros Apagão, o passo para a superação e O mundo não gira, capota. Tem sido classificada em concursos literários a nível nacional e internacional com suas poesias e contos. Participou como autora convidada do FliAraxá 2018 e 2019 e da Flid 2018.