A saudade do passado e a ansiedade pelo futuro impede você de viver o melhor momento: o agora

Carol Daimond

Sabe aqueles problemas que parecem sem solução, que a sua mente diz: você não vai conseguir! Então passa um período e você olha para trás e pensa: Fui eu mesma que passei por tudo isso? É assim que a vida acontece. Muito tem se falado em missão, propósito, valores, e co-criação e sim, tudo isso funciona, você consegue moldar sua realidade, ter uma missão e um propósito traz muito sentido a vida, mas a gente só consegue passar por esses processos humanos quando estamos conectados com a nossa presença no agora.

A vida vem passando por caminhos que desconhecemos, Osho diz: Não sabemos de onde viemos e não sabemos para onde vamos. E no meio desse intervalo estamos vivendo uma jornada, cada um passando por seus caminhos conhecidos e desconhecidos, desbravando, buscando, sonhando. Constatar que no meio desse caminho estamos sempre em busca de algo, pode nos libertar de elos antigos que foram se conectando e nos fazendo sempre pensar no ‘lá’.

Depois de um longo período afastada da terapia, resolvi voltar e durante a sessão fui relembrando momentos de 6 anos atrás, quando iniciei meu processo terapêutico, e uma grande surpresa, eu tenho quase tudo que sonhava há 6 anos atrás. Uau! Porque então eu reclamo tanto? Porque eu não consigo estar aqui e agora? Porque não consigo aproveitar os motivos das sessões de terapia de 6 anos atrás? Consegui perceber nesse processo sobre a falta de presença no presente, estou vivendo no piloto automático e sofro de uma síndrome que eu mesma nomeei de: busca constante e insatisfação crônica.

Em determinados períodos da nossa vida, passamos por fases obscuras, são momentos que pensamos: como vou sair dessa? Olhamos para o alto da montanha e parece que chegar lá, será uma missão realmente impossível. Falta forças, determinação, coragem, fé. Sabe aquele momento que você já levou tanta lambada no amor então você diz: Nunca mais quero me apaixonar. Você olha para o alto e parece que nunca mais vai conseguir sair desse vale. Outros momentos que parecem sem solução, como a perda de alguém que amamos, não há leitura que conforte, não há história que aqueça, a gente só consegue sentir a dor, tristeza, nos sentimos partidos e carregamos a sensação de que nunca mais seremos inteiros novamente. Mas Deus vem e nos permite um novo olhar, uma nova fase, um novo ciclo. Se estivermos bastante empenhados em aprender algo, com certeza, esses períodos sombrios e de dor nos trazem os maiores aprendizados, o maior deles, um clichê: Tudo passa!

Sentada em frente a minha psicóloga, a primeira frase que eu disse: nossa que saudade daquela época, bons tempos eram aqueles. Mas naquela época, eu vivia reclamando, sofrendo, cheia de inseguranças e medos. O que mudou, o que transformou aqueles momentos difíceis em bons momentos? Será o tempo ou a necessidade de estar buscando mais? A gula por viver bem! A verdade é que tudo passa e quem se encarrega de transformar nossas aflições é esse sábio professor, o tempo. Olhando para dentro de mim eu comecei a perceber que eu estava novamente focada apenas no que eu queria viver, eu não estava aproveitando nada dos meus sonhos do passado que agora se tornaram a minha realidade diária.

A vida muda, nosso olhar muda, nossas aflições mudam porque tudo é fluido, mutável, nada permanece igual nessa vida. Não nos permitimos a plenitude e a felicidade, simplesmente porque não estamos conectados ao nosso presente. A vida é cheia de surpresas e aquela montanha lá no alto que parece impossível ser alcançada, em algum momento, que você nem sabe como, de repente você está lá em cima.

Sabe aqueles problemas que parecem sem solução, que a sua mente diz: você não vai conseguir! Então passa um período e você olha para trás e pensa: Fui eu mesma que passei por tudo isso? É assim que a vida acontece. Muito tem se falado em missão, propósito, valores, e co-criação e sim, tudo isso funciona, você consegue moldar sua realidade, ter uma missão e um propósito traz muito sentido a vida, mas a gente só consegue passar por esses processos humanos quando estamos conectados com a nossa presença no agora.

A vida sempre traz lições, nada acontece aleatoriamente ou ao acaso, não! A vida é um grande mistério e tentar entender esse mistério não é a chave da equação, entender você e o seu lugar no mundo, entender que tudo que você tem é o agora, essa sim é a porta aberta para uma vida mais cheia de sentido e significado.

Mas entenda, estar presente no agora não significa deixar de fazer planos, deixar de sonhar, deixar de desejar. Aqui não falamos de conformismo e comodismo, não mesmo. Estar presente é confiar que o agora é como deve ser, que seus planos não são maiores que o que Deus sonhou com você, que tudo segue um caminho e está entrando em harmonia para que você viva sempre da melhor maneira possível. Não é fácil cortar a corda e simplesmente confiar, não é fácil mesmo. Mas se tem outras pessoas vivendo, confiando e realizando uma vida mais plena, então possível, é preciso apenas exercitar diariamente.

Comece hoje, aprenda hoje, sonhe hoje e deixe que Deus coloque as peças no lugar, confie. Faça sua oração e entregue sua caixa para Deus cuidar, não se apegue ao passado, não anseie pelo futuro. A vida vai passando e lá no futuro, quando você estiver vivendo seus sonhos de agora, a sua eu de hoje, vai lá para te lembrar que era tão bom esse momento, que tudo estava tão perfeito agora, ela vai te levar a saudade de viver esse momento tão precioso. Não deixe para o futuro, muito menos para o passado, viva o que precisa ser vivido agora, exercite-se todos os dias a estar aqui, presente. A vida tem uma dança especial acontecendo a cada momento e a música não se repete, então faça o seu show agora!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Carol Daimond
Carol Daimond, mineira de Divinópolis, bacharel em Direito e apaixonada pelas palavras entrelaçadas, mãe, mulher e terapeuta thetahealer, uma mistura de mulher que a cada dia se reinventa em busca da sua melhor entrega em partilha para o mundo. Sua jornada como escritora começou de brincadeira e tem se tornado cada dia mais a sua marca pessoal de verdade e essência.