A dor dói ainda mais quando sabemos que a pessoa nos machucou de propósito

Resiliência Humana

A maneira como experimentamos a dor e os eventos negativos da vida é condicionada por múltiplos fatores. Se acreditarmos que uma pessoa nos machucou intencionalmente, nosso sofrimento emocional será maior porque o sentimento será adicionado à ferida de ser enganado ou traído.

A dor da decepção não é uma experiência objetiva – ou pelo menos não é tão objetiva quanto pensamos.

Existem muitos fatores psicológicos que podem amplificar ou reduzir a dor. O simples fato de um ente querido pegar nossa mão, por exemplo, pode diminuir nossa percepção da dor.

Não é um segredo que nossos estados mentais possam alterar a experiência da dor. Se pudermos relaxar, a dor será aliviada, mas, se ficarmos zangados, as dores serão mais intensas.

No entanto, agora os psicólogos da Universidade de Harvard descobriram que nossa percepção das intenções dos outros também pode influenciar a intensidade da dor.

Ou seja, se acreditarmos que uma pessoa nos machucou de propósito, sentiremos mais dor.

Se acreditarmos que alguém nos machucou de propósito, a dor será maior

Os pesquisadores recrutaram 48 pessoas, cada uma com um parceiro que poderia lhes dar um tom audível ou um choque elétrico. Alguns foram informados de que essa pessoa poderia escolher entre gerenciar o choque elétrico ou o som, outros disseram que não tinham escolha.

Embora a tensão do choque elétrico fosse idêntica nos dois grupos, aqueles que pensaram que seu parceiro estava administrando intencionalmente a descarga classificaram a experiência como significativamente mais dolorosa.

Curiosamente, aqueles que acreditavam que as descargas não dependiam da vontade do parceiro se acostumaram a eles, descrevendo-os gradualmente como menos dolorosos.

Esses resultados indicam que nossa experiência de dor, e provavelmente também o sofrimento que experimentamos como resultado, também depende de acreditarmos que alguém nos causou essa dor com toda a intenção.

A dor intencional não é apenas sentida com maior intensidade, mas permanece estável, enquanto podemos nos acostumar à dor involuntária, reduzindo o desconforto que ela gera.

Danos não intencionais não se repetem, danos intencionais são danos

Os psicólogos acreditam que essa diferença pode ser devido a um mecanismo evolutivo projetado para garantir nossa sobrevivência.

Quanto mais algo nos machuca, maior a probabilidade de realizarmos e fazermos o possível para encontrar sua causa e erradicá-la.

Se for um dano acidental, é mais provável que ocorra apenas uma vez e não precisaremos fazer mais nada sobre isso. Se uma pessoa nos machucou por engano, provavelmente não acontecerá novamente.

No entanto, se for um dano intencional, é provável que aconteça novamente, e nosso cérebro tome nota para fazer algo a respeito o mais rápido possível.

Para garantir que vamos reagir, isso não apenas aumenta nosso limiar de percepção do que dói, mas o mantém porque é um sinal de ameaça à nossa sobrevivência.

Os danos emocionais seguem esse mesmo padrão?

A maneira como experimentamos os eventos negativos da vida é condicionada por múltiplos fatores. Se acreditarmos que uma pessoa nos machucou intencionalmente, nosso sofrimento emocional será maior porque o sentimento será adicionado à ferida de ser enganado ou traído.

Fonte:Gray, K. & Wegner, DM (2008) A picada da dor intencional. Ciência psicológica ; 19 (12): 1260-1262.

*Via Rincon Psicologia. Tradução e adaptação REDAÇÃO Resiliência Humana.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia