A carência te faz enxergar um príncipe encantado onde existe apenas um qualquer

Gabi Barboza

A carência te faz enxergar um príncipe encantado onde existe apenas um qualquer

Frio na barriga, ficar toda boba, se sentindo uma adolescente….

A carência te faz insistir na pessoa que mal te responde. E quando enfim ele aparece, você sente tanta coisa ao mesmo tempo, que se perde. E acha isso lindo.

Você descobre mentiras dele. Vai sabendo mais da vida dele. Ele mesmo vai te contando o que fez de errado pela vida. Só que a sua carência faz você pensar exatamente o contrário do que deveria.

Ele é um qualquer, que você, Carente da Silva, resolveu o colocar no pedestal de “príncipe encantado”. Você quem inicia os diálogos. Implora resposta. Ele vive dando desculpas e você acha que ele está mesmo ocupado.

Não é falta de tempo, é desinteresse. E quanto mais sua carência diz pra insistir e você a obedece, menos ele tem algum querer por você. Interesse não se pede, nem se implora. Ou a pessoa tem por você, ou não.

A maioria das pessoas, ao se notarem carentes, vão logo procurando alguém. É justamente o contrário! Se você está carente, fique sozinha. Nós, mulheres, precisamos cada vez mais, gostar da nossa própria companhia.

Fomos criadas ouvindo histórias de príncipes encantados. Aqueles que salvavam as princesas indefesas. Não somos indefesas. Nem precisamos de príncipes pra ficarmos bem. Temos é que nos amar.

É o amor próprio que te fará perceber que alguém está te enrolando. Mesmo se a carência berrar que é só falta de tempo. A gente cria uma pessoa que não existe e se enfia na lama do desrespeito. Vamos nos anulando em busca de atenção da pessoa. Achamos que as migalhas que recebemos, é “amor do jeito dele”.

Não implore interesse, nem atenção. Migalhas são migalhas e mais nada. Quando essa carência passar, você vai ver alguma foto dele e ver que todo esse sentimento já era. Vai abrir a rede social dele só pra se perguntar “onde eu estava com a cabeça?”. A foto que outrora lhe causava suspiros, vai causar risadas.

Pode ser que demore, mas isso passa. Pense primeiro em você. Seus pais lhe deram carinho, amor, atenção, reciprocidade; não aceite de um estranho nada menos que isso. A carência faz a gente ir se anulando, descendo a ladeira do próprio respeito.

Não perca seu tempo! Se está carente, fique sozinha. Melhor assim, que com um qualquer que te faz mais mal que bem. O que você sente por ele, é forte, mas não é saudável. Viva a sua vida e o tempo vai levar isso.

Quantas vezes você já prometeu a si mesma não falar mais com ele? E você acaba falando. Quando você se sentir tão desprezada por ele e reunir forças pra decidir de uma vez por todas, viver sua vida; isso vai passar.

E um dia ele, que nunca te procurava, vai te procurar. E você não vai responder. Não por orgulho, por vingança, pra “fazer com que ele tenha interesse”. Você não vai responder, porquê finalmente caiu em si.

Percebeu que ele era só um qualquer, que fazia você se rastejar aos pés dele. Puro fruto da sua carência! Mais nada!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Gabi Barboza
É graduanda em Psicologia, tem 32 anos. Como o que faz o mundo dela girar, são as pessoas, trabalha com Recursos Humanos. É mineira, bem casada com um Gaúcho lindo. Mora em Porto Alegre desde 2012. Está sempre lendo e ama escrever. Se sente rica, por ter vários livros em uma estante que é o seu tesouro. Ama se engajar em causas sociais, crê que a única coisa que levamos desse mundo, é o que plantamos. E que as boas obras, são fundamentais.