5 traços que identificam uma pessoa que abusa psicologicamente de outras pessoas

Resiliência Humana

Por: Nos Pensées

Uma pessoa psicologicamente abusiva nem sempre é fácil de identificar. Muitas vezes pensamos que só podemos nos machucar quando somos fisicamente atacados. No entanto, existem especialistas em abuso sem golpes, chamas e objetos que roubam. E eles causam tanto dano quanto aqueles que atacam fisicamente.

Machismo, assédio, discriminação… Existem inúmeras razões pelas quais nos sentimos no direito de abusar que consideramos mais frágil do que nós. Essa é uma das expressões mais fortes da desigualdade e, é claro, está relacionada ao ideal de sucesso e à competição contínua em que vivemos.

“A violência psicológica transforma você em sua mente um inútil.”

-Ana Isabel Gutiérrez Salegui-

Em qualquer espaço ou lugar, nós o encontramos. Na vida familiar, relacionamentos, amigos, escola, universidade, trabalho. Não há como escapar. Ela está aqui e sua presença é impossível de evitar. O que pode ser feito é identificá-lo a partir de seus recursos característicos. Daí a importância de ficar alerta e saber interpretar quais poderiam ser as verdadeiras intenções de uma pessoa.

Embora psicólogos e pesquisadores nem sempre concordem em tudo, é preciso saber que a pessoa psicologicamente abusiva está longe de ser uma pessoa mentalmente doente. Na maioria dos casos, só dói porque quer testar o poder que tem sobre os outros. Portanto, existem recursos claros que o definem. Existem cinco deles.

1. intolerância

O agressor não aceita diferenças. Seu mundo é o único possível e não valoriza o dos outros. Nas suas relações com o sexo oposto, ele considera o outro sempre inferior. São casos de machismo ou feminismo levados ao extremo.

Ele trata os outros de acordo com as características que a sociedade lhes atribui. Se ele os compartilhar, ele só se aproximará daqueles que se identificarem com ele. Caso contrário, ele se distanciará e adotará atitudes rejeitivas. Ele é guiado por preconceitos sociais. É por isso que é comum vê-lo discriminando e sendo desrespeitoso com pessoas diferentes.

2. rigidez

O agressor pensa e age como se fosse o mestre da verdade. As razões dos outros não são importantes para ele. Ele tende a impor suas idéias seja qual for o contexto em que ele está. Ao fazer acordos, ele não desiste de um milímetro de terra porque acha que seus pontos de vista devem ser aceitos.

Uma pessoa psicologicamente abusiva acredita que ele está no controle de todas as situações e está sempre certo. Os outros estão errados e suas idéias divergentes são ruins porque são divergentes. Ele é um líder negativo que sempre pretende se destacar, manipular e ser o centro das atenções.

3. O pensamento dicotômico

Para uma pessoa com essa configuração psicológica, apenas o branco e o preto existem. Sombras não são permitidas. Isso torna impossível perdoar, levar em conta as circunstâncias de alguém que pode estar errado ou simplesmente reconhecer seus próprios erros.

A frase seguinte é como uma luva para o agressor: “Do amor ao ódio, há apenas um passo. ” Assim IEL concebe a vida como dois extremos que, se tocado, produzem choque terrível. Para ele, as coisas são boas ou ruins. Há verdade e mentiras. Nós perdemos ou vencemos. Ele reage de acordo com os princípios com os quais entende a vida.

4. Hipersensibilidade

É uma pessoa que tem dificuldade em gerenciar emoções. Quando ela falha, ela tem dificuldade em começar de novo. Se, ao contrário, ela triunfa, ela acredita que conseguiu tocar o céu com as mãos. Todo extremo é vicioso, diz a sabedoria popular. Mas o agressor psicológico vê o extremismo com um bom olho e também o aplica a si próprio.

Em sua autocrítica não existe e é julgado severa mas superficialmente. Ele está exposto à depressão. E ele frequentemente cai no profundo abismo onde ninguém é capaz de salvá-lo. Tudo o que mencionamos é de fato uma fonte de baixa auto-estima. Ele permanece em um estado de ansiedade permanente e tende a se apresentar como uma vítima.

5. O encantamento

Como ele ganha a confiança de sua vítima, ele se comporta como a melhor pessoa do mundo. É complicado para as pessoas ao seu redor descobrirem suas verdadeiras intenções. O abusador psicológico é um ator digno de ganhar todos os prêmios. É surpreendente por causa de seu carisma e onde quer que vá, é muito popular com todos.

Mesmo quando ele remove sua máscara e expõe seu verdadeiro rosto, outras pessoas (especialmente a vítima) se recusam a acreditar que estão enfrentando um agressor. A desilusão é tal que é provável que nunca aceitem essa verdade terrível e desconcertante.

Apesar de todas essas características, o abusador psicológico geralmente tem uma vida cheia de sofrimento. Sua pior punição é não poder amar alguém de verdade. É por isso que ela se sente solidão e vazio em sua vida diária. Ele também é vítima de si mesmo.

Texto originalmente publicado no Nos Pensées, livremente traduzido e adaptado pela equipe da Revista Resiliência Humana.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia