5 COISAS QUE APRENDI COM LORELAI GILMORE:

Carol Daimond

A volta de Gilmore Girls está marcada para final de novembro e nós já esperamos ansiosos a volta delas, mãe e filha, girls power. O seriado começou a ser exibido em 2000 e foram 7 temporadas, 153 episódios de muito amor envolvido. Agora quero compartilhar o que aprendi com ela.

Olha o que você pode aprender e levar para sua vida sobre os ensinamentos maluquinhos de Lorelai.

Lorelai Gilmore é a mãe precoce de Rory, que tem o mesmo nome da mãe, no entanto usa a abreviação como apelido, a cumplicidade entre mãe e filha trazem essa leveza para a vida real, na verdade, algumas vezes chegamos a ter dúvidas quem é a mãe, quem é a filha, apesar de serem parecidas em muitos aspectos, existem as características próprias de cada uma.

A série acontece na cidade de Stars Hollow, uma aconchegante e pequena cidade com moradores bem peculiares. Gilmore Girls, pode ser uma cartilha de felicidade e o que podemos aprender com Lorelai?

1.Preserve a criança que mora em você:

Brinque mais com a vida, não leve tudo ao pé da letra e nem seja tão rigorosa com você mesma, ria de você e das situações embaraçosas que você acaba entrando. Quando você brinca com a vida as consequências são leveza, felicidade, plenitude. Mantenha viva sua criança interior. E aprendi muito mais…

2.Saiba a hora de pedir ajuda:

Em alguns momentos, por mais que você não queira dar o braço a torcer, será necessário sucumbir o seu ego. Aprendi que pedir ajuda não é algo ruim como é visto por aí, pelo contrário, quando você assume que não consegue dirigir determinado passo sozinha, você detém o poder sobre suas decisões, e dizer: Olha preciso de você. É só mais um passo para grandes transformações na sua vida.

3.Se a vida estiver difícil peça um café:

O que o café pode fazer por você? E se não gosta de café, peça um leite quente, um suco gelado, mas tenha seu momento com você mesma quando tudo parecer que vai desabar. E se não parecer que vai desabar também, adquira o hábito de se presentear com momentos únicos que você possa entrar em sintonia com o seu eu profundo.

4.Não tenha medo de dizer o que pensa:

Fale o que sentir que é necessário ser dito, não carregue com você fardos que não quer carregar. Se não deu certo permita-se sentir esse momento por um tempo, chore, viaje, se afogue em sorvete, filme e café, mas depois vá viver a vida em sua melhor versão. A melhor forma de viver bem depois de um fim (qualquer que seja esse fim) é vivenciar o luto e se reconstruir sobre as suas cinzas. Então, faça um ritual pro fim e recomece no tempo seguinte.

5.Mesmo que nada tenha dado certo antes, continue tentando:

Seus planos podem ter saído completamente diferente que você imaginava que seria aos 15 anos. A vida não vem com fórmula pronta e nem traz manual de instruções, então muitas vezes as coisas não saem do jeito que esperamos, o que não significa que situações bem melhores podem aparecer em nosso caminho. Esteja atenta as oportunidades, se você não conseguiu entrar pra faculdade que sonhava e fez um curso só por fazer, sempre é tempo de recomeçar e fazer algo novo, aproveite cada minuto para realizar algo e atingir outros patamares, outros sonhos, outras metas.

A vida é assim, como um jogo de vídeo game, passamos etapa por etapa e sempre temos algo a aprender, algo a desejar, algo a comemorar. Não lamente, faça!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Carol Daimond
Carol Daimond, mineira de Divinópolis, bacharel em Direito e apaixonada pelas palavras entrelaçadas, mãe, mulher e terapeuta thetahealer, uma mistura de mulher que a cada dia se reinventa em busca da sua melhor entrega em partilha para o mundo. Sua jornada como escritora começou de brincadeira e tem se tornado cada dia mais a sua marca pessoal de verdade e essência.