5 atitudes que incentivam a irresponsabilidade em crianças

Resiliência Humana
5-titudes-que-incentivam-a-irresponsabilidade-nas-crianças

5 atitudes que incentivam a irresponsabilidade em crianças

O crescimento das crianças deve andar de mãos dadas com o aumento da responsabilidade, para que possamos lhes dar mais liberdade e confiar nelas.

Educar crianças e jovens responsáveis ​​é um dos principais objetivos de todo pai e mãe.

Compreender o valor de cumprir suas obrigações trará grandes benefícios futuros.

No entanto, às vezes, os adultos mantêm certas atitudes que, sem querer, incentivam a irresponsabilidade nas crianças.

Para que os menores sejam responsáveis, devemos fornecer a eles as condições apropriadas. Em outras palavras, deve haver regras claras e um espaço no qual eles possam decidir, exercer com responsabilidade.

Muitas vezes falhamos em algum momento desse processo, dificultando a aquisição desse importante valor. Portanto, preste atenção às seguintes atitudes e tente corrigi-las se você se refletir em alguma delas.

Atitudes dos pais que incentivam a irresponsabilidade nas crianças

Para incutir responsabilidade em nossos filhos, é imperativo que lhes forneçamos espaço suficiente para tomar certas decisões. Um jovem não pode exercer responsabilidade se não for permitido.

Por exemplo, se insistimos e perseguimos nosso filho todos os dias para fazer sua lição de casa e ficar ao lado dele o tempo todo, não estamos dando espaço a ele.

Você pode ser responsável quando lhe permitirmos assumir suas tarefas e confiar que você as concluirá a tempo sem estar em cima delas.

Nós não explicamos as regras

Muitas vezes, o que consideramos irresponsável decorre da falta de clareza nas regras.

É importante que as regras sejam claras para que eles possam segui-las e que possamos avaliar seu desempenho.

Vamos imaginar que nosso filho adolescente esteja fazendo uma de suas primeiras saídas com os amigos e pedimos que ele volte para casa em breve. Essa diretriz bastante imprecisa não é adequada, uma vez que não é clara nem fácil de seguir, uma vez que “em breve” é um termo relativo e subjetivo. Se, em vez disso, dissermos para ele voltar antes das 10, ele saberá o que fazer e podemos avaliar facilmente se ele foi responsável.

Não permitir que experimentem as consequências gera irresponsabilidade

Como pais, uma das nossas maiores falhas é não permitir que nossos filhos experimentem as conseqüências naturais de suas ações. Na tentativa de evitar problemas e sofrimentos, acabamos privando-os da oportunidade de aprender lições valiosas.

Assim, se o menor se esquece de colocar um livro na mochila da escola, é apropriado que ele experimente as consequências de seu esquecimento.

Se a mãe ou o pai voltarem para casa para pegar o livro e levá-lo para a escola, eles estarão promovendo a irresponsabilidade.


Não aplicamos conseqüências consistentemente

Em relação ao exposto, ao estabelecer uma disciplina, devemos ter cuidado para aplicar as conseqüências de maneira consistente e coerente. Ou seja, eles devem estar relacionados à falha cometida e devem aparecer sempre que a regra for violada.

A irresponsabilidade das crianças é muitas vezes motivada pelo fato de que a consequência nem sempre aparece. Assim, se estabelecermos que o não cumprimento da hora de chegada resulta em um fim de semana sem sair, não podemos com freqüência abrir exceções ou mudar de ideia no último momento.

Nós não controlamos nosso estado emocional

Finalmente, é importante que os pais sejam capazes de manter a disciplina sem cair em desordem emocional. Em outras palavras, regras e consequências definidas são estabelecidas e aplicadas sem alterar a maneira como tratamos os menores.

Se você não pegou a sala ou não terminou a lição de casa, isso terá efeitos a serem seguidos, mas não é necessário ou positivo que os pais gritem, acusem ou fiquem bravos com a criança.

É a conseqüência que ensina, portanto, criar um clima emocional negativo é desnecessário e prejudicial.

Irresponsabilidade, uma tarefa para nós dois

Em resumo, se você acha que seu filho tem comportamentos irresponsáveis, tente abordar o assunto de maneira conjunta.

Antes de culpá-lo, tente ver onde você poderia melhorar seu trabalho educacional. Talvez as regras não sejam claras o suficiente, ou talvez você não esteja dando a ele espaço e confiança para mostrar que ele pode ser responsável.

Lembre-se sempre de ter paciência, mantenha a calma e mostre as consequências.

Esta é a melhor maneira para os jovens experimentarem responsabilidades.

Trabalhando juntos, eles desenvolverão comportamentos mais maduros e autônomos.

*Tradução e adaptação REDAÇÃO RH. Com informações Eres Mama

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia