3 dicas para superar uma crise matrimonial

Resiliência Humana

Superar uma crise matrimonial não é nada fácil. Estamos rodeados de histórias felizes de amor, de gente que parece que tem tudo resolvido e que nunca experimenta problemas em suas relações. Por isso, quando notamos que algo vai mal com nosso parceiro, costumamos nos sentir muito mal e nos preocupamos em excesso com o que está acontecendo.

No entanto, uma crise matrimonial não é o fim do mundo. Se administrados bem, os problemas de casal podem ser uma oportunidade maravilhosa para se reconectar com o que é importante para nós, para reforçar nosso compromisso e para melhorar a qualidade de nossa relação.

A maioria dos conselhos para melhorar uma relação são muito similares: comunique-se com seu parceiro, faça pequenos gestos por ele, encontre momentos para reviver a paixão. No entanto, estamos em uma época na qual existem mais problemas entre os parceiros do que nunca.

Enfrentar uma crise matrimonial não é tão simples quanto parece. Requer valentia, decisão e a capacidade de agir. Compilamos três dos melhores conselhos para que você possa superar os altos e baixos de sua relação com sucesso. Comece agora!

1- Lembre por que você está com seu parceiro
A maioria de nós, quando estamos no meio de uma crise matrimonial ou de relacionamento, nos centramos somente no que vai mal e começamos a pensar que tudo é terrível. No entanto, se estamos há bastante tempo em uma relação, costuma ser por algum motivo.

De acordo com vários estudos psicológicos, nosso parceiro costuma nos trazer três coisas: segurança, confiança e status. Dependendo da pessoa, um desses três elementos será mais importante do que os outros e ela pode até não dar relevância a algum.

Nesse sentido, conhecer quais são nossas necessidades mais importantes pode nos ajudar a descobrir como melhorar nossa relação em um momento difícil. Se, por exemplo, precisamos de muita confiança, nosso parceiro a está trazendo? E se não o faz, o que podemos fazer para sermos mais confiantes?

2- Não tenha medo de ferir os sentimentos da outra pessoa
Quando estamos muito apaixonados, a última coisa que passa pela nossa cabeça é fazer ou dizer algo que possa fazer mal ao nosso parceiro. Por isso, costumamos silenciar algumas opiniões e até mesmo chegamos a não expressar nossa dor diante de alguns atos que nos provocam mal-estar.

Mesmo que no início não dizer o que pensamos possa evitar alguns conflitos, a longo prazo isso nos fará mais mal do que bem. Sacrificar nossas necessidades constantemente pode levar a uma crise de casal importante. No entanto, queixar-se constantemente tampouco parece ser o caminho. O que podemos fazer?

A solução, como quase sempre, passa pelo ponto intermediário: aprender a expressar as necessidades de forma assertiva, sem jogar a culpa no outro. Se, por exemplo, nos sentimos muito sozinhos porque nosso parceiro vai ao bar todas as noites com seus amigos, podemos dizer algo assim: “Amor, quando você sai todas as noites e fico sem ninguém em casa, me sinto um pouco sozinha e me preocupo, porque penso que eu não sou importante para você. Sei que para você suas noites com os amigos são importantes, mas existe algo que possamos fazer para que fiquemos os dois bem?”.

3- Não se assuste se você se sente atraído por alguém novo
Chegamos a aquela que é, possivelmente, a maior causa de crises matrimoniais do mundo. Quando estamos em uma relação, esperamos que o amor seja tão forte que apague para sempre nossa atração por outras pessoas; por isso, quando aquele companheiro do trabalho nos faz sentir como adolescentes flertando pela primeira vez, nos assustamos.

A realidade é que a sexualidade humana está baseada, em grande parte, na variedade. Tanto homens quanto mulheres estão programados para se sentirem atraídos por parceiros novos quando já estão em uma relação há um certo tempo e acabou o período de paixão.

Por isso, na próxima vez em que sentir atração por outra pessoa, respire fundo. É algo normal. Na verdade, isso não significa que há um problema com a sua relação. Como dissemos, trata-se de uma reação normal do nosso corpo. O importante nessas situações não é o fato de sentir atração, e sim o que você faz com essa sensação.

No fundo, uma relação está baseada em um compromisso entre duas pessoas. Mesmo que você se sinta atraído por alguém, deve pensar friamente no que irá trazer mais felicidade a longo prazo: seguir seus impulsos ou agir de forma que possa se sentir orgulhoso de si mesmo?

FONTEA Mente é Maravilhosa
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia