Como saber se ele é o homem certo para mim?

Resiliência Humana
Shot of a couple having relationship problemshttp://195.154.178.81/DATA/shoots/ic_784169.jpg

Texto original por Paula Hendricks Marsteller
Traduzido, com autorização, por Francine V. Walsh

“Como você sabia se o Trevor era o homem certo para você?”, uma menina de 17 anos me perguntou. “Eu tenho dificuldades em saber se um rapaz é o certo para mim. Todo dia eu peço a Deus para me ajudar em minha confusão”.

Acredite se puder, é surpreendentemente simples. Deixe-me compartilhar com você o que estou aprendendo do livro “Decision Making and the Will of God: A Biblical Alternative to the Traditional View” (Tomando Decisões e a Vontade de Deus: Uma Alternativa Bíblica para a Visão Tradicional, tradução livre), de Gary Friesen e J. Robin Maxson.

Determine se você tem o “dom” para casamento ou solteirice
O Dr. Friesen explica assim:

A decisão de casar ou continuar solteira se encontra em uma área de liberdade. O apóstolo [Paulo] tinha uma preferência pela [solteirice] que ele “preferia” que outros escolhessem. Mas ele sabia que não poderia dar ao seu desejo uma força de comando. Pois nem todo mundo “tem o dom”. Deus agracia cada cristão de uma maneira diferente. É provável que o que Paulo quis dizer é que alguns têm o “dom” de desfrutar a solteirice enquanto outros têm o “dom” de desfrutar o casamento com suas responsabilidades extras (1 Cr. 7:7).

A primeira questão para você pensar é se será melhor para você casar ou ficar solteira. Surpreendentemente, “não há nenhuma ordenança na Palavra para uma coisa ou outra”. Isso significa que você não precisa passar horas tentando discernir a voz “calma e baixa” de Deus. Você não precisa determinar se Deus está te chamando ao casamento ou à solteirice.

Já que tanto o casamento quanto a solteirice são dons de Deus, e já que você é livre para servir a Deus tanto como uma mulher solteira quanto casada, ambas são boas opções (você pode ler 1 Coríntios 7 para ver os prós e contras do casamento e da solteirice).

Agora é hora de pensar nisso, mesmo se não existe nenhum rapaz batendo na sua porta ainda. [Fazendo isso agora] você terá menos com que se preocupar quando um rapaz de fato bater em sua porta.

Determine se seu pretendente é um cristão
Agora – supondo que você deseja se casar, e tem um rapaz que está mostrando interesse – você precisa se perguntar se as Escrituras dizem algo sobre a escolha de um cônjuge. (E a resposta é sim!) A Palavra é clara: Um cristão pode apenas se casar com outro cristão. Isso é vitalmente importante. Como o Dr. Friesen explica:

A questão é que não somente os valores, objetivos, padrões, e motivações (…) de um cristão são incompatíveis com os de um não-cristão; mas eles são diametralmente opostos! Eles estão servindo dois senhores diferentes que são arqui-inimigos um do outro.

Deus te deu muita liberdade no resto. Não o desobedeça nesse aspecto aqui. Busque acima de tudo um rapaz piedoso, que ame Jesus.

Busque conselhos sábios

– O que os seus pais pensam desse rapaz?
– O que seu pastor diz?
– Uma vez que você estiver noiva, busque aconselhamento pré-casamento, e escute bem o que seu aconselhador diz pensar de vocês dois juntos.

Aqueles ao seu redor terão uma mente muito mais clara do que você, uma vez que o romance está “nublando” seus pensamentos. Preste atenção nos conselhos deles!

Use o bom senso
[Preste atenção] se vocês têm os mesmos valores. (…)*

Minha história

Eu nem sempre entendi a liberdade que Deus dá acerca de escolher um cônjuge com sabedoria. Eu costumava tentar descobrir se Deus me queria casando com um rapaz ao orar e buscar por “sinais”. E era tão confuso! Aqui está um exemplo que tirei de um diário antigo meu:

Eu estava falando no telefone com meu pai hoje quando o Jim me mandou uma mensagem. Na verdade, naquele momento específico, papai estava orando para que meu futuro marido me encontrasse, e eu ouvi a mensagem chegar. Coincidência ou obra de Deus? Eu não sei…

Jim também estava confuso, porque depois de meses me dando sinais de sim e não, ele me disse que enquanto orava sobre ter um relacionamento comigo, ele “sentiu um sinal amarelo”. Ele não havia recebido um “sinal vermelho” de Deus, mas também não havia sentido um “sinal verde”. Ele me disse que havia perguntado a Deus se deveria ou não se casar comigo, e Deus estava sendo “irritantemente silencioso”. Eu acho que é porque Deus já havia dado a ele a liberdade de decidir por si mesmo.

Nem preciso dizer que eu acabei dizendo adeus ao Jim. E, ah!, que bom que eu fiz isso!

Porque alguns anos depois, Deus jogou Trevor Marsteller “no meu colo”. Bom, no meu Twitter, na verdade. Quando eu comecei a namorar o Trevor, eu mantive meus olhos bem abertos e usei a sabedoria que Deus me deu através da Sua Palavra e comunidade.

Não é que eu tivesse zero preocupações. Mas, conforme eu levava elas a Deus, ao Trevor, e a conselheiros piedosos, no final elas não mudaram minha visão. Apesar do Trevor não ser perfeito (ninguém além de Jesus é!), eu podia ver que ele era “perfeito” para mim de tantas formas. (…)

Mas, voltando o foco para você.

A questão então é: Pare de procurar por um sinal escrito nos céus te dizendo “esse é o rapaz certo”. Tome uma decisão sábia baseada na Palavra de Deus, em conselhos sábios, e no senso comum. Deus te deu liberdade. Escolha sabiamente, e c
onforme você o faz, seja abençoada!

FONTEGraça em Flor
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

COMENTÁRIOS