13 sinais de que você é mais autoconsciente do que pensa

Resiliência Humana
A man walking barefoot across stepping stones away from the shore of a lake.

Honestidade, visão de futuro, ter calma e agir com fé, praticar o desapego e acreditar na necessidade de mudar o que está errado dentro de nós e não nos outros… São algumas características de pessoas autoconscientes. Sei que talvez você nem saiba que evoluiu tanto nos últimos anos, mas avalia aí e conta se você é ou não é autoconsciente!

1. Você é muito honesto com o que você ama, o que você odeia e tudo mais.

Você tem opiniões fortes sobre certas coisas e não tem medo de compartilhá-las (com tato e somente quando for apropriado, é claro). Você não finge ter opiniões fortes sobre coisas em que você geralmente tem uma postura neutra. Você também não tenta se forçar a amar algo que odeia ou odeia algo que ama.

2. Mesmo quando você não tem toda a sua vida planejada, você tem uma visão para o futuro e está trabalhando para isso.

Isso não significa que você está sempre no caminho certo, mas pode reconhecer onde está errado e sentir a proximidade de becos sem saída. Você aproveita o tempo para aprender com suas experiências, para que possa entender melhor como navegar pela vida com mais capacidade de previsão e engenhosidade.

3. Você raramente é provocado por raiva e geralmente reage de uma maneira calma e sensata.

Você pára e pensa antes de reagir, já que entende que as explosões irracionais não resolvem nada e só tornarão a situação mais problemática e caótica do que precisa ser.

4. Você não confia ou espera que as circunstâncias externas mudem antes de você.

Você é sempre quem muda primeiro. Sua atitude é proativa e você está disposto a se avaliar honestamente e fazer um esforço para parar de reclamar sobre as coisas sobre as quais você não tem controle.

5. Você tende a analisar a maneira como você se depara com outras pessoas, de todos os ângulos possíveis.

Você não quer falar muito ou pouco. Você pensa sobre o que quer dizer e comenta com cuidado de uma maneira que beneficie você e as pessoas com quem você está falando. Você quer ser atencioso com o tempo de outras pessoas.

Você é educado e não está muito interessado em queimar pontes ou dizer coisas fora de impulso. Você sabe quando parar antes de ficar vulnerável demais.

Você também usa suas tendências excessivamente conscientes para o bem e garante que esteja bem preparado e apresentável. Você entende o poder de se apresentar de uma maneira que não é falsa nem imprudente.

6. Você não entorpece suas emoções ou tenta escapar delas.

Você entende que não pode confiar apenas no raciocínio racional. Você sabe como os sentimentos são importantes e você tem uma maneira de expressá-los através de atividades terapêuticas, como o diário, conversando com alguém que você gosta e arte.

Você está profundamente sintonizado com suas emoções. Você é conhecido por ser altamente sensível e honesto com a forma como expressa como se sente, mas também sabe que suas emoções nem sempre são confiáveis, especialmente quando você está tentando tomar decisões críticas que podem afetá-lo pelo resto da vida. sua vida.

7. Você tem uma compreensão profunda de seus próprios processos de pensamento e de como absorver melhor a informação.

Você sabe como você aprende melhor, para quais tipos de fontes você continua retornando ao adquirir informações, como detectar vieses e de onde suas próprias perspectivas de certas ideias se originam.

Você não aceita prontamente as opiniões populares como verdades porque prefere buscar fontes imparciais de informação antes de chegar a qualquer conclusão. Você usa esse conhecimento para esclarecer a maneira como pensa para poder melhorar certas áreas de sua vida.

8. Você está ciente das coisas que você não conhece.

Você nunca finge saber muito sobre coisas que você não entende. Você não assume que sua perspectiva está sempre certa. Você também sabe como é tolo apresentar suas próprias opiniões e julgamentos como fatos.

9. Você não espera que a vida lhe dê privilégios especiais.

Você reconhece que a satisfação não é fazer com que o mundo veja você como mais significativo ou mais nobre do que todo mundo, e que existem muitas restrições e barreiras que podem impedi-lo, mas você trabalha com o que tem ao invés de reclamar sobre como a vida é injusta. Você não espera receber mais do que aquilo que você colocou.

10. Você não fica na defensiva quando as pessoas criticam você.

Você entende que, embora a opinião das pessoas sobre você não defina quem você é, dedique um tempo para ouvir e considerar que você pode ter alguns problemas não resolvidos que só você pode dedicar tempo para encontrar soluções. Você sabe que reagir de maneira defensiva é um sinal de alerta de insegurança.

11. Você sabe como é valioso aprender com seus fracassos.

Você toma o fracasso como uma oportunidade de aprendizagem para promover seu desenvolvimento pessoal e obter insights valiosos sobre a vida, que quebram todas as noções preconcebidas sobre a vida que você estava socialmente condicionada a considerar como verdades.

12. Você não persegue nada do que você é inatamente terrível, mesmo quando se sente pressionado a ter sucesso nisso.

Você não se preocupa em desperdiçar seu tempo tentando melhorar uma habilidade inexistente dentro de você, já que em última análise você sabe que você pode estar construindo sobre algo que você tem mais potencial para.

13. Você desistiu de muitos sonhos e só ficou mais sábio ao fazê-lo.

Isso revela como você se tornou desapegado dos grandiosos e elevados sonhos de sua juventude, e está disposto a abandonar todas as fantasias que você não pode transformar em realidade. Suas prioridades atuais na vida são fundamentadas por propósito, segurança e contentamento

** Texto livremente adaptado e traduzido do Thought Catalog pelo Resiliência Humana

FONTEChristine Chen
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia