“​ ​O​ ​líder​ ​lidera​ ​trabalhos,​ ​o​ ​mestre​ ​ensina​ ​valores.”

Bruno Cabral

Em quantas e tantas no ambiente de trabalho nunca ouvimos esta frase? Porque nunca? O que falta para a organização atingir objetivos e metas de forma saudável? São questões enfrentadas por líderes, que colocam sempre seus liderados atrás dele mesmo; pois não querem ver um passo adiante nenhum colaborador a não ser ele mesmo, “o líder”.


Nessa tônica, o mestre ensina valores para a vida toda, e não se importa do colaborador ou mestrando esteja a frente dele, pois ele prepara para a vida o ser humano, para assumir futuramente os trabalhos. Então, o líder lidera trabalhos e o mestre ensina valores (…)

Acontece que o ser humano não é preparado para ser mestre em sua vida de formação, onde o equilíbrio, o bom senso e a habilidade de ensinar valores estão bem longe desse processo.

As organizações necessitam de mestres, que ensinem filosofia e valores não só da organização, mas também das técnicas psicológicas responsáveis pela empatia.

Confúcio ao falar sobre os mestres e o conhecimento lecionou que o conhecimento consiste em ter consciência tanto de conhecer uma coisa, quanto de não a conhecer. Este é o conhecimento; assim, os ambientes corporativos atuais buscam por mestres, que preparem seus 2 conhecimentos dos mestrandos (colaboradores) não apenas no alcance de metas e objetivos, mas também do condicionamento de oportunidades e uma preparação permanente baseada em
valores.

E ainda segue uma dúvida, porque buscar preparar liderados, se precisamos de mestres, que perpetue valores em busca de uma permanente formação? Que esta acaba sendo dirimida como porque​ ​colocar​ ​líderes​ ​e​ ​os​ ​liderados​ ​sempre​ ​atrás​ ​e​ ​sem​ ​valores?

Recorte​ ​do​ ​livro​ ​“liderança​ ​de​ ​mestres”,​ ​no​ ​APP​ ​Watapad.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS




Bruno Cabral
Professor, Palestrante e Escritor.