Você sabe o significado dos rabiscos que fazemos inconscientemente?

Resiliência Humana

Muitas pessoas têm o hábito de desenhar rabiscos enquanto falam ao telefone ou aguardam para serem atendidas em algum lugar. Sem que nos demos conta, isto se torna parte de uma rotina que repetimos constantemente.

Embora esses desenhos casuais não possam dizer exatamente como somos, podem indicar alguns traços da personalidade que expressamos de forma inconsciente. Preferimos desenhar algumas formas mais do que outras porque algumas delas refletem com mais precisão as nossas percepções mais íntimas.

“Escrever conscientemente é o mesmo que desenhar inconscientemente o retrato de si mesmo, o autorretrato”.
-Max Pulver-

Devemos diferenciar os rabiscos ocasionais dos permanentes. Os primeiros são desenhos que fazemos uma vez e não repetimos mais; os desenhos permanentes são os nossos favoritos, que não deixamos de desenhar quando encontramos uma folha de papel. Esses desenhos demonstram como somos internamente.

Os traços dos rabiscos inconscientes

De acordo com a forma, a pressão e a disposição dos traços que compõem esses rabiscos inconscientes, podemos determinar alguns traços da personalidade e emoções ou sentimentos que estão escondidos no nosso interior. Os principais significados são os seguintes:

Traços geométricos: correspondem a figuras geométricas simples (triângulos, quadrados, retângulos, etc). Se não tem decorações ou relevos, falamos de pessoas que reprimiram seus sentimentos e tentam lidar com tudo através da razão. Se têm algum sombreado, revelam que a pessoa está em um processo de flexibilização das suas convicções. Desenhos com algumas partes totalmente brancas ou pretas demonstram que a pessoa tem muitas dúvidas.

Traços rígidos e bem marcados: Quando o traço é forte e bem marcado, revela uma pessoa angustiada, obsessiva e que se concentra excessivamente nos seus problemas. Se o traço quase rasgar o papel, existe muita raiva e violência reprimidas.

Traços irregulares ou em zigue-zague refletem impulsividade: As pessoas vão acumulando as tensões e liberam tudo inesperadamente. Normalmente são pessoas muito passionais, que dão grande importância ao aspecto afetivo.
As formas dos rabiscos inconscientes

A forma que os rabiscos adotam também é um indicador do sentimento e da percepção inconsciente que os motivam. Uma análise adequada destes desenhos pode ser feita através do exame dos traços e da forma que eles tomam. Dependendo do desenho, estes são os principais significados:

Flechas ou setas: geralmente revelam um componente agressivo. Falamos de pessoas impulsivas, com grande tendência para a ação. Se as setas vão da esquerda para direita, mostram que a agressão é dirigida para os outros, se vão da direita para a esquerda, a agressão é dirigida para ela mesma. Flechas que se curvam identificam pessoas que conseguem reunir suas forças para alcançar seus objetivos.

Espirais: correspondem a pessoas egocêntricas e que se concentram nos seus próprios interesses. As espirais que terminam do lado esquerdo mostram que existe um problema do passado que ainda não foi superado; se terminam do lado direito, a pessoa sente muito medo da solidão e uma grande necessidade de ser sociável para quebrar o seu confinamento.

Estrelas e cruzes: revelam uma grande necessidade de ser o centro das atenções em seu ambiente social. Se a estrela tem muitas pontas e o centro está vazio, refletem depressão e tendência a melancolia. Por sua vez, as cruzes revelam uma pessoa com um grande sentimento de culpa e que carrega muita responsabilidade sobre os seus ombros.

Figuras de pessoas: é um sinal de que a pessoa se sente indefesa diante dos outros, ou não acredita que é capaz de assumir as suas responsabilidades, especialmente se as figuras forem muito pequenas. Quando o desenho das pessoas for muito esquematizado, tipo “bolinhas e pauzinhos”, reflete muita insegurança, medo da aproximação das pessoas e necessidade de fechar-se em si mesmo.

FONTEA mente é maravilhosa
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana

Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia


COMENTÁRIOS