Você não gosta de mim

Marina Melz

Não tem porque você gostar de mim. Eu sou insuportável, insensível, imbecil. Gosto das culinárias mais estranhas, das músicas mais estranhas. Gosto de pessoas estranhas. Meus amigos são todos loucos. Aliás, esse é um dos critérios para dividir seu mundo com o meu. Seja um pouco louco, um pouco inconseqüente, um pouco sentimental.

É difícil encarar algumas coisas na minha vida. Mas a que tem se mostrado mais difícil é dividir os sentimentos e os pensamentos aqui dentro. O medo se mistura com ternura, a paciência se transforma em compulsão. E impossível gostar de mim.


Não, não. Eu não sou bacana, não me visto como bacana, não tenho um corpo bacana. Não gosto de política, vejo jogo de futebol de pijama, como besteiras compulsivamente. Tenho TPMs complicadas, fico chata, carente. Sou viciada em abraços, gosto de sentir o cheiro das pessoas. Escrevo besteiras, falo besteiras. Minha vida é um besteirol.

Sou viciada em trabalho. Respiro pautas, newsletters, notícias. Não relaxo para passar um final de semana tranqüila. Se o seu sonho é ter programas legais em casais no final de semana, você tem mais um motivo pra esquecer. Quer mais um? Eu sou preguiçosa pra caramba. Prefiro longas sessões de filmes embaixo das minhas cobertas a caminhadas bacanas na praia com amigos bacanas. Ah, e se você gosta de dormir descoberto, me esquece. Eu só durmo de edredom.

Eu sinto vontade de dormir com a minha mãe. Tá aí mais um motivo pra você não gostar de mim. Não consigo passar muito tempo longe dela, nem da comida dela, nem do carinho dela. Sim, se você me levar pra viajar por uma semana, no terceiro dia eu vou estar querendo ela de volta. Viu? Sem chances.

Tomo vários calmantes. Se eu ficar um dia sem eles, você não vai mais me querer. Eu grito, pulo, discuto. E só pra você saber, não levo uma vida saudável. Não faço exercícios, não como coisas saudáveis. Não quero ter filhos tão cedo. Pois é, você sonha com uma família, não pode gostar de mim.

Não tem como gostar de mim, mesmo. Você nunca vai me ver feliz com a minha aparência e eu vou estar sempre reclamando. Pô, eu te entendo, não tem como gostar de uma pessoa que só reclama. Ah, e o pior é que eu não faço nada pra mudar. É, eu sei. Ah, tinha esquecido. Eu gosto de meninos arrumadinhos. É, você entendeu. Preocupe-se com você e deixe que eu não me preocupe comigo.


Adoro caras de ternos, adoro formaturas. Eu faço planos incertos para um futuro dolorosamente certo. Eu sei que eu viajo, meu bem. Isso quer dizer que você não consegue gostar de mim? Olha, eu já esperava.

Não tem como gostar de mim mesma. Sou instável, né? Eu sei. Eu posso estar um amor pela amanhã, uma palhaça ao meio dia, uma bruxa a noite. Ah, eu já disse que eu adoro pijamas e detesto lingeries sexys? É… se você não se acostumar com bichinhos, Bob-esponjas e roupas de dormir, não vai rolar. Eu também não sei cozinhar. Não sei fazer arroz, ovo e esse tipo de coisa. A única coisa que eu sei fazer é um miojo bem mal feito. Você não curte? Ah, sinto muito.

Tem outra coisa muito importante que você precisa saber a meu respeito. Já deixei um namorado dormindo sozinho num acampamento porque uma amiga precisava de mim. É isso aí, colega. Não agüento ver as pessoas que eu gosto sofrendo. E isso vai encher teu saco pra cacete.

Ah, eu sou ambiciosa. Tenho planos e mais planos e mais alguns planos que eu posso não cumprir, mas vou lutar pra conquistar. Se você não tiver sonhos exóticos e uma crença elegante que vai conseguir tudo o que quer, eu vou te achar um saco e vou insistir pra que você queira sempre mais. Você não é assim, né? Acha que ninguém é? Pois eu sou, e faço de tudo pra que as pessoas sejam também.

Eu também sou um pouco mandona, um pouco nervosa, um pouco ciumenta. Mas nada que brigando comigo durante um certo tempo não se resolva. Claro, você vai me ver chorando, vai ter que aceitar as minhas mil desculpas. Ix, você não tem paciência? É, não tens como gostar de mim.

O que? Você ainda acha que a gente pode dar certo? Quanto tempo faz que você não consulta um psiquiatra? Então agora eu posso dizer que mesmo com tudo isso eu posso dar o maior amor do mundo. Posso te dizer, também, eu quero fazer alguém feliz, e que eu posso ter mil defeitos, mas eu não pretendo desistir. Teimosa? Ah, não tinha colocado isso ali em cima?

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Marina Melz

É jornalista e trabalha com assessoria de imprensa.


COMENTÁRIOS