A velhice nos trás direitos maravilhosos. Enquanto a juventude é cheia de obrigações.

Resiliência Humana

A velhice nos trás direitos maravilhosos. Enquanto a juventude é cheia de obrigações.

A velhice é o tempo em que vivemos a doce inutilidade.

Porque mais cedo ou mais tarde iremos experimentar esse território desconcertante da inutilidade.

Esse é o movimento natural da vida.

Perder a juventude é você perder a sua utilidade, é uma conseqüência natural da idade que chega.

A velhice é o tempo em que passa-se a utilidade e aí ficasse somente o significado da pessoa.

É o momento que a gente se purifica.

É o momento que a gente vai tendo a oportunidade de saber quem nos ama de verdade.

Porque só nos ama pra ficar até o fim aquele que, depois da nossa utilidade, descobriu o nosso significado.

É por isso que sempre rezo para envelhecer ao lado de quem me ama.

Para poder ter a tranqüilidade de não ser útil, mas ao mesmo tempo não perder o valor.

Se você quiser saber se alguém te ama de verdade, é só identificar se ele seria capaz de tolerar a sua inutilidade.

Quer saber se você ama alguém?

Pergunte a si mesmo, quem nesta vida que pode ficar inútil pra você sem que você sinta o desejo de jogá-lo fora.

E é assim que nós descobrimos o significado do amor…

Só o amor nos dá condições de cuidar do outro até o fim!

Feliz daquele que tem ao fim da vida, a graça de ser olhado nos olhos, e ouvir a fala que diz: – Você não serve pra nada, mas eu não sei viver sem você!”

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

COMENTÁRIOS