Uma mulher de 800 milhões de anos poderia mudar o curso da história…

Resiliência Humana

Sabemos que todos os seres vivos evoluem e permanentemente surgem novas formas cada vez mais complexas da vida que valem a pena serem estudadas. Com sua Teoria da Evolução, Charles Darwin afirmou que todos os animais acabam se adaptando ao seu ambiente e, como consequência disso, evoluem. No entanto, graças a um caso que veio à tona há alguns anos e que gerou inúmeras teorias a seu respeito, sua famosa teoria poderia ser colocada em cheque. Não perca esta interessante história…

Um caso estranho que se originou na internet há um tempo e rondou os portais de notícias mais importantes, afirmava que, em 1969, cientistas soviéticos mantiveram em segredo a descoberta de um corpo humano de 800 milhões de anos idade perfeitamente preservado. Em uma mina de carvão de Rzhavchik, Tisulskago, na região de Kemerovo, Rússia, foi encontrado um corpo, aparentemente de aparência bastante aceitável, de uma bela mulher e, dentro de seu caixão de mármore, foi encontrado um desenho intrincado.

Enquanto muitos leitores da Disclose TV descartaram a história como uma invenção baseada no conto de fadas “Branca de Neve e os Sete Anões”, outros especialistas em artefatos antigos argumentaram que a história era totalmente autêntica, e que os cientistas soviéticos conspiraram com as autoridades comunistas para encobrir a descoberta do corpo, já que refutava a Teoria da Evolução de Charles Darwin.

Alguns argumentaram que a história surgiu com um vídeo postado no YouTube em 2014, mas isso não é tudo… Outros, entretanto, afirmaram que o vídeo tinha roubado as imagens de um caso diferente: as múmias Taklamakan, descobertas em um deserto na China. O vídeo, que estava em russo, afirmava que o caixão de mármore com o corpo perfeitamente preservado foi encontrado a cerca de 21 metros abaixo da terra, por garimpeiros locais, em 1969. O caixão foi encontrado por um mineiro identificado como Karnaukhov.

Alexander Masalygina, funcionário encarregado do sítio localizado perto da pequena e remota vila de Tisulskago, na região de Kemerovo, Rússia, ordenou a suspensão imediata dos trabalhos após os mineiros descobrirem o caixão de mármore misterioso e habilmente trabalhado, de acordo com o blog de teoria da conspiração Antigos Patriarcas (Ancient Patriarchs). Os trabalhadores trouxeram o artefato para a superfície e o abriram cortando a calafetação das bordas fossilizadas.

Ao tentar abrir o caixão, o calor do sol derreteu a calafetação e um estranho líquido fluiu de dentro do caixão, o que surpreendeu os presentes. Quando os mineiros abriram o caixão, dentro dele havia o corpo de uma bela jovem de cerca de 30 anos, perfeitamente preservado em um misterioso líquido rosa e azul. Os olhos azuis da jovem estavam bem abertos e ela tinha mãos suaves e pálidas, com unhas bem cortadas. Ela estava vestida com um vestido branco simples que chegava até os joelhos.

Um pequeno objeto de metal retangular, que parecia um telefone celular, estava colocado perto de sua cabeça. O corpo estava tão bem preservado que parecia que a jovem estava dormindo e não morta. Depois de ter sido aberto, muitas pessoas se reuniram para admirar a misteriosa descoberta, mas as autoridades distritais souberam da notícia e, em menos de 24 horas, um helicóptero vermelho de Moscou chegou para transportar o caixão.

Mas como o helicóptero não foi capaz de alçar voo adequadamente com o pesado caixão, os funcionários decidiram esvaziar seu interior. No entanto, subtraindo-se o líquido conservante, o corpo tornou-se preto e irreconhecível. Ao ser colocado de volta no líquido, o corpo recuperou seu estado original, algo bastante surpreendente. Quando eles finalmente levaram o caixão, os agentes colocaram o lugar em quarentena e as testemunhas foram detidas por vários dias. Sob ameaça, as pessoas que presenciaram o acontecido, não deveriam contar nada acerca do acontecido.

Um velho professor de Novosibirsk foi chamado para analisar o corpo. Ao examinar o corpo, o professor concluiu que esta descoberta poderia revolucionar a nossa compreensão da história da Terra. Parte de sua conclusão foi porque o corpo tinha supostamente 800 milhões de anos, no mínimo. Era ainda mais antigo que o depósito de carvão em que foi encontrado, o que seria prova cabal para derrubar a Teoria da Evolução de Darwin.

“Hoje nós somos como os nossos antepassados de há 800 milhões de anos atrás, não houve evolução!”, afirmou o pesquisador. Os peritos examinaram e analisaram o tecido utilizado para fazer o vestido e ficaram desconcertados, porque não puderam detectar nem sua natureza nem sua idade. Concluíram que foi feito com uma técnica muito antiga e rupestre, nem sequer conhecida nos dias de hoje. Tampouco puderam identificar o líquido rosa utilizado para preservar o corpo, apesar das tentativas em laboratórios norte-americanos. Porém, posteriormente, concluíram que dois dos componentes do líquido eram: cebola e alho.

Apesar dos esforços das autoridades para esconder o incidente, alguns moradores que viram o estranho caixão de mármore e o cadáver, falaram sobre ele e a história se espalhou para as comunidades vizinhas. Um agricultor fez campanha para que a verdade viesse à tona, mas morreu depois de enviar algumas cartas aos membros do Comitê Central do governo. A causa oficial de sua morte foi insuficiência cardíaca. Outras testemunhas também morreram em acidentes de carro após a descoberta.

Muitas pessoas dizem que a descoberta prova que os seres humanos não evoluíram e que nós e os nossos antepassados mantivemos a mesma aparência durante milhões de anos. A espécie humana está na Terra há mais tempo do que afirma ciência evolucionista. Será que tudo isso é verdade ou é uma simples invenção? Não sabemos, porque neste caso, a verdade nunca veio à tona, exceto pelo que se lê na Internet. O que você acha? Pode ser a teoria de Darwin seja abalada por essa descoberta?

FONTEPara os Curiosos
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana

Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia


COMENTÁRIOS