UMA BACTÉRIA PERIGOSÍSSIMA CHAMADA ”PAIXÃO”!

Bruna Stamato

A sorte de um amor tranquilo ou uma paixão cruel desenfreada?! Há de se escolher entre um ou outro, bem sabia Cazuza!

Nunca ouvi falar de um amor cruel e uma paixão tranquila! Os dois têm seus encantos e chega uma hora que os dois também nos cansam, precisamos então procurar um meio termo. Eu nunca achei, confesso. Mas isso não quer dizer que seja impossível.

Creio que as pessoas que mantém longos casamentos tenham encontrado essa fórmula mágica.

Já vi paixões virarem amor e se tranquilizarem com tempo, já vi longas amizades virarem longos amores também mas nunca vi um amor virar paixão. Porque o amor é tranquilo mesmo, é amigo, é querido. A paixão é lasciva, é explosiva e imediatista, ela é descontrolada, possessiva e egoísta. Ela deixa teu oceano interior nada pacífico, te revira a vida, a cama e a alma…enquanto o amor te estabiliza, te alegra e te acalma. As vezes a gente acha que é amor mas não é. Sabe qual é um bom teste pra identificar?

Pense se o seu ser amado estivesse sofrendo e precisasse ir embora, passar uns tempos fora…o que você faria? Se vê-lo indo te parece impossível, te causa uma dor instantânea no peito só de pensar, então é paixão! Mas se a ideia de vê-lo se afastar te dói mas você aceita, porque sabe que vai ser melhor pra ele(a), porque vê-lo bem é mais importante do que a tua própria dor, então é amor!

Porque amor de verdade é altruísta, é paciente, é de verdade e o que é de verdade não acaba de uma hora pra outra. Não que a paixão seja falsa, os sintomas físicos são até reais demais mas é traiçoeira e do mesmo jeito que veio pode te deixar a qualquer momento, sem explicação!

Paixão correspondida é o melhor troço da vida! Mas paixão abandonada vira paixão bandida! A gente vira vingativo, faz coisas sem pensar, de repente perde todo o auto – controle, porque tenho a impressão que a paixão é uma “bactéria” que se instala no cérebro e ataca o sistema nervoso central, invade nossa corrente sanguínea, mata nossos anticorpos todos, um à um, te deixa vulnerável, te provoca febre e taquicardia, dilata tuas pupilas, em estágio avançado causa cegueira (reversível, felizmente!), surdez e amnésia de lacuna!

Você nunca imaginou ser acometido por tal “doença”! Se pergunta “Por quê eu?!” e tenta loucamente achar a cura! E…acha-se a cura. O problema é que essa cura é momentânea e na maioria das vezes, a bactéria da paixão resiste e volta muito mais forte! E o pior é que não tem vacina! Tem gente que parece até ser imune mas é porque ainda não encontrou a pessoa que vai lhe infectar de paixão!

Chega um ponto que você já não dorme, não come mais tão bem, se concentrar nas suas tarefas cotidianas é muito difícil, todo mundo percebe e comenta, o mundo fica cinza longe do objeto de desejo e ganha cores psicodélicas quando ele está junto, como um LSD, ou uma cocaína qualquer, você sabe que aquilo já está passando dos limites, seu instinto de preservação te grita que você não deve continuar, mas a abstinência é algo terrível e você já não consegue se livrar.

Mas a paixão é tão nociva? Não! Paixão vivida junta te faz sorrir sozinho, cumprimentar com um enorme sorriso todos os seus vizinhos, brincar com cachorros desconhecidos na rua, sonhar de olhos abertos e esquecer do mundo em breves segundos.

Paixão vicia. Tomar qualquer atitude no auge da paixão é a maior estupidez que um ser humano pode cometer. É a estupidez mais deliciosa da vida… Não se preocupa com a burrada, defenda-se do tribunal da sua consciência com o álibi incontestável que foi tudo feito COM PAIXÃO!!

Porque se o preço pago por se apaixonar e não se ser correspondido é um coração partido, então preciso de uma cola para juntar meus cacos porque ainda prefiro colar meus pedaços várias vezes na vida do que manter um coração intacto por nunca ter me apaixonado!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Bruna Stamato
"Mãe, mulher, geminiana, maluca e uma eterna sonhadora!"

COMENTÁRIOS