Um dia eu te quis, hoje não mais.

Iandê Albuquerque

Pensar que em algum momento eu pedi pra você ficar, implorei pra que a gente continuasse acreditando que poderíamos chegar em algum lugar. Dia desses me peguei pensando em tudo o que vivi ao teu lado e só consegui sorrir. Sorrir porque apesar de ter te amado como nunca pensei que conseguiria amar alguém, a melhor parte de tudo isso foi ter sentido o alivio que foi deixar de te querer.


Um dia eu te quis como quem precisava de alguém pra viver, sabe? Eu te quis tanto que me coloquei de lado diversas vezes e achei que você era tudo o que eu tinha, sem ter me dado conta de que tudo o que eu realmente precisava era de mim mesma, principalmente pra entender o que valia a pena manter na minha vida e o que eu deveria descartar. Eu precisava de mim pra compreender que eu nunca fui sua, que você nunca foi meu, e que todo esse sentimento de apego confunde o amor, que deve ser um sentimento tão leve, profundo e recíproco.

Eu precisava de mim pra aceitar que você não era exatamente o melhor abrigo que achei que fosse, e que em vez de correr pros seus braços pensando que tudo iria passar, eu deveria entender primeiro que, se a tempestade era você, não seria o mais seguro embarcar na tua. Eu precisava de mim pra enxergar que a teimosia é um veneno pro amor, que insistência nem sempre cura nossos machucados, às vezes deixa marcas ainda mais profundas. Eu precisava de mim pra perceber o fim e assim, aprender que ele existe pra a gente recomeçar.

Hoje eu acho tudo muito engraçado. Consigo rir de todos os momentos em que chorei e implorei que você amadurecesse. Consigo achar graça em todos os machucados que você me fez, porque um dia eles doeram tanto que eu cheguei a pensar que não conseguiria me curar. Mas passa, a gente se cura e quando me curei, percebi o quanto amadureci com tudo isso. Não sei por onde você anda, também não me interessa saber. Não sei se continua sendo o mesmo de antes, e sinceramente, espero que não. Torço pra que você tenha tirado uma lição de tudo isso e ao menos, tenha se tornado um bom abrigo senão pra alguém, pra si.

A gente fica tanto tempo em pessoas que não valem a pena tentando acreditar no amor, que acaba passando pessoas realmente fodas e a gente não enxerga porque insistimos naquilo que não vale a pena. Às vezes a gente tá tão fixado em alguém que não percebemos que esse alguém não é o suficiente pra gente, e talvez nunca vai ser mesmo.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Iandê Albuquerque
Sou recifense, 24 anos, apaixonado por cafés, seriados e filmes, mas amo cervejas e novelas se houver um bom motivo pra isso. Além de escrever em meu blog pessoal e por aqui, escrevo também no blog da Isabela Freitas, sou colunista do Superela e lancei o meu primeiro livro em Novembro de 2014 pela Editora Penalux. .

COMENTÁRIOS