Abandonando os rótulos sociais

Ser e estar são duas palavras diferentes que definem dois estados distintos. Ser compreende um estado de essência, que vai muito além do corpo material e está diretamente integrado com a sua alma, seu espírito. Já estar é um estado temporário, que conectado com a sua matéria, varia conforme as fases da vida.

O grande problema é que 99,9% das vezes misturamos estes dois estados, sem ao menos entendermos suas diferenças. Acreditamos que somos determinado rótulo, quando na verdade apenas estamos experimentando temporariamente. Um exemplo claro, muitos se caracterizam de acordo com sua carreira, usando a fala: “Eu sou administrador, eu sou médico, eu sou advogado.”

Pare e pense com clareza, você não é representado pela sua profissão, você está nela. A carreira, assim como diversos outros papéis fazem parte de um estado temporário de nossas vidas. É muito importante que tenhamos esta consciência, pois quando traçamos pontos fortes de identificação e “vestimos” estes papéis, as chances e motivos de sofrimento são muito maiores.

Estes rótulos sociais são fachadas que aprendemos a adotar ao longo de nossas vidas para nos sentirmos mais confortáveis e seguros. Infelizmente, como tudo neste mundo, eles também são temporários, e quanto mais nos apegamos mais sofremos. Nosso corpo envelhece, os empregos são transitórios, as pessoas que estão nas nossas vidas hoje podem ir embora a qualquer momento. Tudo, absolutamente tudo neste mundo está relacionado a um conceito de passagens e experiências.

A palavra chave é exatamente esta: Experiência. Precisamos aprender que tudo que está em nossa vida tem um propósito de aprendizado e aprimoramento. As pessoas passam por nossas vidas para nos ajudar no desenvolvimento de nossas percepções e sentimentos.

Aceite esta realidade e não se apegue aos rótulos, sua vida tende a ser muito melhor!

COMPARTILHAR
Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia



COMENTÁRIOS