Se você não vê o amor, acredite, ele não existe

Aline Felix

Na vida, se você for um libriano terá mais dúvidas do que qualquer outra pessoa com relação a tudo.

Em cima do muro, olhamos de um lado para o outro, queremos respostas, saber o que vale ou não arriscar. Andar no escuro é mais assustador do que saber a resposta de tal questão.

Os monstros que não vemos são maiores que nossa imaginação, e a culpa é nossa. Nós os alimentamos. Eles não são tudo isso, mas os fazemos grandes, e às vezes, maiores que nós.

Entretanto, existem duas questões que nos deixam na dúvida, ambas você sabe a resposta, mas uma você tenta se enganar.

Tudo bem você ser indeciso em qual roupa usar, se aceita ou não o emprego que te ofereceram, se compra a torta de limão ou morango, se aceita ser oradora da turma ou se você não sabe o que vai fazer no final de semana. Tudo bem ter dúvidas e colocar na balança.

É normal sentir-se assim. Temos medo. Embora digam que é saudável sentir medo, no fundo é só o coração mandando ser cauteloso. Porque tudo o que você faz o afeta, por menor que seja. Tudo chega ao coração. Um coração triste é uma vida triste.

Você passa a se sentir menos e nunca o suficiente. Jamais deve se sentir assim. Chega a ser uma falta de respeito com a vida. Pois existem milhares de outros dias para se sorrir. Não se pode entregar a um abalo emocional, não por muito tempo.

Agora, quanto ao amor, é outra história. Se você não consegue enxergar o amor, acredite, ele não existe.

Quem ama demonstra, seja em palavras ou atitudes. Os pequenos detalhes de uma forma ou de outra chegam ao coração.

Caso esteja em uma relação onde tem que cobrar afeto, carinho, tempo e interesse caia fora. Acredite, você merece mais. Merece que pessoas se interessem em querer estar perto de você. De separar nem que seja alguns minutos do seu dia para dizer que sente saudades ou para perguntar se está tudo bem.

A vida mostra que você tem milhares de oportunidades e caminhos para ser feliz, e por que você aceitaria menos de alguém?

Tudo aquilo que não sentimos não existe. Não se engane acreditando que cobrar atitudes muda alguma coisa, você só se desgasta, e como eu já disse em publicações anteriores, você não deve nunca mendigar amor, afeto e carinho.

Você é mais, e nunca deixe que te façam se sentir menos, ok?

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





Aline Felix
Nascida em 1989, na cidade de São Paulo é formada em jornalismo pelas Faculdades Integradas Rio Branco. Blogueira e metida a escritora é apaixonada por prosas, crônicas e contos. Seus sentimentos e pensamentos ela expressa em seu blog “pelos olhos da cidade”. Dedicada, esforçada, exageradamente dramática e otimista, procura ver a vida de uma forma simplista. É uma antítese incessante.

COMENTÁRIOS