SAIA DA MESQUINHARIA E PROSPERE!

Andrea Pavlovitsch

As pessoas querem ser ricas, querem prosperar, ter dinheiro. Fazem a roda da fortuna, aprendem a gerenciar as finanças no Youtube, fazem planilhas e leem um monte de livros. Fica se perguntando: “Por que o outro tem mais do que eu, já que eu trabalho tanto e tenho tanta boa vontade?”, não entende porque aquela quantia extra que caiu no banco, sempre foi na conta do vizinho e não na dele. Que saco!

Dinheiro, ainda mais no Brasil, é sinônimo de coisas feias. É só assistir uma boa novela e você vai entender do que eu estou falando. A maioria de nós cresceu vendo Laurinha Figueiroa humilhando a Rainha da Sucata por sua origem simples. Os ricos são sempre os ruins, os sacanas, os nomes feios. Os que traem, os que largam a mulher por uma mais nova. A imagem que nós temos é sempre do mal. Dinheiro não traz felicidade.

Só que a realidade é bem diferente. Uma coisa é você ser rico porque roubou ou qualquer coisa assim. Outra é você ter dinheiro porque é um herdeiro ou simplesmente trabalhou duro e conseguiu as suas coisas. O Universo é muito rico. É só se deitar sob as estrelas para ver a quantidades delas no Universo. Mas uma crença é muito forte e sim, pode atrapalhar tudo: A crença na falta.

Quando eu era criança minha mãe me mandava comer tudo no prato e a justificativa era que tinham crianças na África (no meu tempo era a Etiópia que sofria com a fome) que não tinham nem o que comer. Eu raspava o prato, cheia de culpa, rezando para que aquilo nunca acontecesse comigo. Não aconteceu, mas passei a ter medo de faltar qualquer coisa.

É fácil ficar compulsivo quando se acredita na falta. Uma vez, quando eu fotografava formaturas, fui fazer uma em um bairro bem afastado de São Paulo. O lugar era muito pobre e os pais estavam super orgulhosos de seus filhos. Lá pelas tantas, depois da colação de grau e ainda precisando fotografar muitos formandos com suas famílias, vi que a decoração estava sumindo. Quando olhei para trás vi orlas e pessoas saindo com os enfeites, flores, vasos e até uma coluna de plástico. Os seguranças estavam em polvorosa tentando salvar os artefatos e eu não conseguia mais fazer as fotos porque tinham levado o cenário!

Crença na falta. Aquelas pessoas nunca tinham visto algo tão bonito e não acreditavam que veriam de novo, então precisavam possuir tudo. Levar para casa mesmo que não servisse para nada. Quem acredita na falta, mesmo sendo rico de dinheiro, é mesquinho. Tem medo de repartir as coisas com os outros e faltar para ele. Podem até ter dinheiro, mas possivelmente a falta virá em saúde ou em relacionamentos, por exemplo.

Os verdadeiros ricos, são ricos por dentro. Não acham que o que tem no banco os define. Eles carregam a riqueza dentro de si próprios e não tem medo de, se precisar, ir lavar carro e conseguir tudo de novo. Precisamos acreditar no nosso potencial para sermos verdadeiramente ricos. Precisamos entender que a prosperidade de um é a prosperidade de todos e parar de ter tanta inveja porque ainda não estamos prontos para pegar o nosso milhão.

Todos no Universo têm esse direito. Basta ir lá buscar e parar, definitivamente, de acreditar que vai faltar. O sol nasce para todo mundo. É só ter olhos para ver.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Andrea Pavlovitsch
Terapeuta porque adora ajudar as pessoas a se entenderem. Escritora pelo mesmo motivo. Apaixonada por moda, dança, canto, fotografia e toda forma de arte. Adora pão de queijo e café com leite e não pretende mudar o mundo, mas, quem sabe, uma pequena parte da visão que temos dele.Espaço Terapêutico Andrea Pavlovitsch Av Dr. Eduardo Cothing, 2448A Vila Formosa - São Paulo - SP +55 (11) 3530 4856 +55 (11) 9.9343 9985 (Whatsapp) [email protected]

COMENTÁRIOS