Por que é tão difícil ser feliz?

Patrícia Prado

Esta talvez seja a pergunta mais realizada no interior de cada ser humano e também a mais difícil de ser respondida.

A felicidade é um sentimento complexo, a maioria das pessoas já sentiram em algum momento da vida. Ser feliz é quando o que estamos experimentando em nosso interior é tão bom, capaz de nos preencher com todos os sentimentos prazerosos de alegria, amor, entusiasmo, realização, paz… Todos de uma só vez.

Então por que é tão raro senti-lo? Será que estamos fadados a sermos infelizes? Por que a vida parece tão difícil e cheia de contrariedades? Por que na maioria dos dias nos sentimos o oposto desse sentimento tão completo? Seria uma utopia? Será que a felicidade realmente existe? Eu mereço ser feliz? Alguém merece?

Responder perguntas tão intensas não é um trabalho fácil. A começar porque cada um sente, compreende, vive esse sentimento a sua maneira. Mas existe algo comum entre todas as pessoas, e por isso mesmo seja mais fácil tentar compreender o porquê de todos esses questionamentos.

Quando analisamos a forma que nós vivemos (no que se refere a pensamentos e comportamentos) é possível entender o que parece incompreensível.

A maioria de nós, seres humanos, vive sem questionar sua própria vida, não se conhece, não sabe porque se comporta de um jeito ou de outro, não reconhece erros, não se coloca no lugar do outro, não medita sobre suas atitudes, não sabe lidar com limitações, não controla suas ansiedades, vive no passado ou no futuro, não sabe controlar as emoções, não sabe se relacionar com as outras pessoas, não valoriza as pequenas coisas da vida, vive querendo ter o que não tem, não sabe quem é e nem porque está nesse planeta…

Precisamos entender antes de tudo que se perder é se achar. O caos é necessário para a evolução da vida, mas não podemos nos acostumar a ficar na bagunça psíquica para sempre! Enquanto não aprendermos a buscar sentido para nossa vida a felicidade parecerá um filme de ficção.

É possível ser feliz com o que somos e com o que temos hoje, mas para isso precisamos sair da inércia da mesmice, de achar que a vida é assim mesmo, quantas vezes dizemos “não está fácil pra ninguém”, e por isso ficamos onde estamos, sem entender pelo menos o que precisamos fazer e por que estamos aqui.

Questione-se mais, tenha dúvidas, mergulhe profundamente na sua existência, se conheça, reconheça suas limitações e suas qualidades, aprimore a sua força, enriqueça sua saúde emocional. É triste demais ser uma pessoa superficial, que parece bem adaptada a nossa sociedade que já se perdeu faz tempo. Aprenda a se rebelar, se todos estão seguindo um caminho, dê meia volta e siga o lado oposto, a chance é enorme de que a grande massa social esteja sendo manipulada. Porque se você não pensa, alguém pensará por você. Olha o perigo!

Seria muito bom dar dicas de faça isso ou aquilo, ter respostas prontas para que ainda hoje pudesse sentir a felicidade, mas eu não posso. O destino de cada um é a felicidade, mas depende de cada pessoa mergulhar cada vez mais profundamente dentro de si, fazendo perguntas e encontrando suas próprias respostas.

A felicidade existe sim, mas ela exige força e coragem para desbravar caminhos desconhecidos e intermináveis dentro de nós. Mergulhar em nossas profundezas é preciso, mas morrer afogado não!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





Patrícia Prado
Patrícia Prado é psicóloga, coach, especialista em Gestão de Pessoas, palestrante, capixaba, reside em Ribeirão Preto - SP.

COMENTÁRIOS