Podem roubar a sua ideia, mas nunca o seu talento

Resiliência Humana

Já aconteceu com todos nós. De repente você tem uma ideia boa ou encontra uma solução para algo no trabalho, por exemplo, e alguém decide se apossar dessa ideia ou solução. É tarde demais para reclamar sua propriedade: já a roubaram e você se sente frustrado.

Por outro lado, se formos realistas, é possível que você tenha feito o mesmo com a ideia de outra pessoa. É totalmente normal que isso ocorra, mesmo que não pareça ser uma coisa certa ou justa. Isto é, as ideias voam, são livres uma vez proclamadas em voz alta, e ficam expostas a qualquer mente. Na verdade, somos ruins na hora de recordar as fontes, mas somos bons em recordar as ideias.

No entanto, lembre-se sempre disso quando você sentir indignação por algo assim: podem roubar a sua ideia, mas nunca o seu talento e a sua inteligência.

O talento é pessoal

O talento é único, pessoal e intransferível. É uma arma poderosa que fala de nós mesmos e da forma como lidamos com o mundo. Não é algo que se pode emprestar, nem copiar. O talento é natural e só pede para ser reforçado para dar os melhores resultados.

Se você pensa que não tem nenhum talento, está errado: certamente há algo em que você pode explorar tudo o que tem dentro de si. Você só precisa buscar isso com vontade e depois trabalhar nele. Assim, surgirão ideias novas, criações pessoais, ou reflexões interessantes que as outras pessoas poderão tirar de você, mas nunca poderão conceber.

“O talento é profundamente injusto: não se pode transmitir.”
-Vittorio Gassman-

Dedique tempo suficiente a isso e você verá como consegue encontrar o lugar onde pode ensinar tudo o que você vale. Nunca é tarde demais, nunca é difícil demais e nunca é impossível alcançar. Basta você acreditar em si mesmo e confiar nas possibilidades que as nossas competências oferecem a cada um de nós.

É bom se nutrir da ideia dos outros

Ao contrário do que nos parece quando roubam a nossa, compartilhar uma ideia não é um plano tão ruim. É verdade que o plágio ou a cópia doem, mas a transmissão de conceitos de uma mente para a outra nos nutre como pessoas. No final das contas, é uma forma de difundir conhecimento.

“As ideias são como os seres vivos.Nascem, crescem, se proliferam, enfrentam outras ideias, e finalmente morrem.”
-Bernard Werber-

De que nos serve ter ideias se não as podemos ver crescer? Para vê-las se tornarem realidade, precisamos impulsioná-las e dar-lhes vida até se converterem em outra coisa ou morrerem. Se elas são nossas, o justo é que saiam de nós, pois sua finalidade é, afinal das contas, se proliferar entre os demais. Não há nada de errado no fato de elas nascerem em nós, mas crescerem em outras pessoas.

De fato, ao longo da história, as gerações posteriores aproveitaram constantemente os conhecimentos e as ideias de gerações anteriores. Dessa forma, devemos as comodidades do nosso presente a aqueles que compartilharam a sua sabedoria e, assim, o seu talento conosco. Por esta razão, é benéfico respeitar uma ideia que tenha um companheiro, e que ao mesmo tempo ajudemos a desenvolvê-la sem lhe tirar o mérito que este merece.

O talento requer esforço

Como dissemos acima, o talento é natural, mas necessita ser trabalhado com esforço. Na verdade, se queremos potencializá-lo de alguma forma, devemos geri-lo de forma adequada: focalizar o lugar onde ele pode se desenvolver e ter uma atitude correta para fazer isso.

Ninguém pode tirar isso de nós, uma vez que o conquistarmos. Se temos talento dentro de uma empresa, encontraremos o caminho para demonstrar isso; mesmo que roubem as nossas ideias, reflexões ou projetos. O talento é algo que é observado quando se explora ao máximo.

“Muitos pensam que ter talento é sorte; não vem à mente de ninguém que a sorte pode ser uma questão de talento.”
-Jacinto Benavente-

VIACristina Trilce
FONTEA mente é maravilhosa
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana

Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia


COMENTÁRIOS