Os mal-entendidos podem criar um enorme abismo entre aqueles que se amam

Resiliência Humana

O mundo está cheio de pessoas que esperam que aqueles que deixaram partir voltem, e de gente que não se atreve a regressar mesmo amando a pessoa. E muitas vezes deixamos que coisas negativas (crenças sem sentido, mal-entendidos e frustrações) pesem mais do que os sentimentos genuínos.

Como costuma-se dizer, a vida é um longo caminho no qual aprendemos a aproveitar as coisas boas e a deixar de lado as ruins. O que acontece é que fazemos isto tarde e, por causa disso, perdemos muitas coisas valiosas pelo caminho.

Cometer o erro de focar o negativo tem como consequência a formação de uma grande barreira entre as pessoas que se apreciam.
Portanto, dado que compreender as formas de se comunicar, as intenções e as diferentes realidades das pessoas é complicado, é bom entendermos nossas mentes para minimizar a possibilidade de nos afastarmos das pessoas que amamos.

Podemos entender nossa mente como um rádio…
Podemos entender nossa mente como um rádio que está sempre ligado e sintonizado na mesma estação. Às vezes, o rádio nos diz coisas maravilhosas mas, contudo, outras vezes nos diz coisas que doem demais.

Embora não possamos mudar de emissora, podemos deixar de prestar atenção a cada coisa que ela diz. Com essa atitude conseguiremos deixar de levar a sério tudo o que o rádio nos diz (nossas mentes) e deixar de paralisar a vida quando não gostamos do que o rádio diz (nossas mentes).

Para aprofundar o assunto e explicar isto melhor, preciso que você imagine que é um jardineiro e que as plantas do seu jardim são aquelas coisas que você mais ama na sua vida. Quais seriam essas plantas? O que cada uma delas significa?

Como jardineiros, cada um de nós é o único responsável por cuidar das suas plantas, de semear novas sementes, cuidá-las e regá-las. Partindo desse conceito: Como você acha que está cuidando do seu jardim? O que você precisa fazer ou o que implica o cuidado dessas plantas ou outras que você poderia semear?

Ainda assim, as plantas não crescem sempre como a gente imagina: podem crescer flores onde não queríamos, crescer mais lentamente e mesmo murchar apesar do cuidado que tivemos. O importante é como você se dedica a elas e como cuida delas. Se este não é o caso, o que impede você de ser assim? O que interfere por causa dos seus afazeres diários?

Às vezes, nos jardins, também nascem ervas daninhas que não gostamos e nos esforçamos para arrancar. Para entender as consequências disso, imagine um jardineiro que as remove assim que as vê. As ervas daninhas voltam a aparecer repetidamente. Constantemente, o jardineiro as corta mas, apesar de todos os seus esforços, sempre voltam a aparecer.

Podemos dizer que provavelmente esse jardineiro está gastando seu tempo naquilo que não gosta, enquanto suas plantas, que é o que realmente importa, estão abandonadas. A opção que ele precisa considerar é se está disposto a se ocupar daquelas que realmente são importantes, apesar das outras coisas que possam aparecer a cada hora e que não forem totalmente do seu agrado.

Ou seja, inevitavelmente algumas plantas implicam partes que não gostamos, mas que são imprescindíveis (por exemplo, a roseira, para dar rosas, também dá espinhos).
Agora, considerando este raciocínio, deveríamos pensar naquelas plantas que consideramos importantes e das quais estamos descuidando por aquela maldade que nos incomoda e a que, sem dúvida, damos muita atenção.

Este raciocínio pode ser aplicado em todos os aspectos das nossas vidas com a intenção de atenuar a tendência de focar naquilo que não nos agrada. Sem dúvida, este é um dos principais motivos que reside na formação dos mal-entendidos que acontecem e que nos afastam das pessoas que amamos de forma sincera e genuína.

VIARaquel Brito
FONTEA mente é maravilhosa
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

COMENTÁRIOS