O que fazer quando o seu parceiro é sem paciência?!

Resiliência Humana

Leitora: Eu amo ele, quando estamos bem, estamos muito bem. Porém, em qualquer discussão ele estoura e só sabe gritar comigo. Eu tento conversar calmamente, eu falando calma ele gritando dizendo que eu estou brigando. Ele é impulsivo demais, não sei o que fazer, é terrível, as vezes morro de medo de falar de algo com o qual me sinto insatisfeita porque eu sei que ele irá gritar comigo.

E o pior, ele não reconhece que ele estoura, diz que sou eu que brigo! Se continuarmos juntos iremos nos casar mas, com essas atitudes não sei mais.
Será que ainda existe solução?


Homem estressado é o fim da picada, ou melhor, ninguém merece gente estressada, né? O pior disso é quando juntam dois estressados, aí é o inferno na terra. Primeiramente, você tem que ver o seu nível de paciência: você é do tipo que até aguenta bastante coisa sem se afetar; é daquelas que finge que aguenta, mas guarda tudo e sofre; ou então é daquelas que já sai logo soltando os cachorros? Se você é daquelas que é calminha até demais, você tem duas saídas: ou fica tendo o dom de esquecer tudo, ou guarda tudo para você até o dia que o saco explodir (porque afinal, até o saco mais vazio do mundo um dia enche) e a situação ficar de verdadeira emergência. Agora, se você é igualmente estourada, fazer o relacionamento ser duradouro fica mais difícil ainda. Já ouviu falar que dois bicudos não se beijam? pois é, tentar beijar o outro que nem você pode sair mais faíscas do que o aceitável.

Eu sou a favor da ideia de que muita gente estressada assim é por experiência de vida ou por conveniência. Se o cara grita e você aceita, ou então não aceita mas no outro dia já está tudo bem é triste falar, mas provavelmente ele vai achar que vai poder fazer o que quiser contigo que você não guarda. É claro que sair no barraco também não é a melhor saída, porque cansa você e a outra pessoa, mas impor respeito é algo que é sempre bem vindo. Seria interessante utilizar algumas táticas que, ainda que nem sempre fáceis de serem praticadas, costumam ter resultados bastante positivos quando conseguimos. A primeira delas seria só conversar se a pessoa estiver falando direito, em um tom descente; se não, simplesmente saia do lugar “com paciência” (afinal, você precisa ter moral para exigir algo, certo?) e fale para ela te procurar quando quiser conversar direito. Depois, ainda que você esteja morrendo de vontade de lavar a roupa suja, espere o tempo da pessoa vir até você, se não vier, paciência. O que não dá é ficar aceitando tudo numa boa, como se ficar brigando sempre fosse normal.


É claro que provavelmente o seu parceiro tem várias qualidades, porém, o importante é ver se as qualidades superam esse defeito e até que ponto essa falha é realmente grave para o seu bem estar. Se esse defeito incomoda a ponto de te fazer sofrer por isso, é chato, mas você TEM que demostrar essa insatisfação e, não tem muita opção que não seja mostrar que definitivamente essa atitude não cola contigo. Se afastar por um tempo avisando que é por isso pode ser uma boa solução para que a pessoa veja que se continuar assim acabará te perdendo. Parece tortura, mas tem vez que ou você impõe respeito ou a pessoa se impõe em cima de você (infelizmente e em muitos casos, as relações humanas parecem só funcionar assim). Mostrar insatisfação dói muito mais do que gritar, brigar ou qualquer coisa do tipo. Se a pessoa ver que realmente pode te perder por isso e, desde que ela realmente goste de você, acho difícil ela não fazer nenhum esforço para mudar.

É claro que muita gente usa aquela do “eu sou assim”, mas não acho que essa é uma desculpa eficiente pelo simples fato de que, muita gente é brigona com quem dá espaço para ela ser assim. Cansei de ver “machões” que batem boca com a mulher, mas se chega o melhor amigo ou algum qualquer da rua ele muda o tom. Como disse, é desnecessário dar uma de quem grita mais alto, mas, mostrar que com você é na base do respeito. Se a gente não cortar certas coisas no início, depois só tende a piorar porque respeito ou a gente conquista ou perde de vez. Se você ainda assim não conseguir acalmar o seu parceiro, vale a pena pensar se é isso que você quer aguentar para o resto da vida. No fim, cada um sabe o quanto aguenta e o peso que cada defeito tem e terá em sua vida.

Boa sorte!!

FONTEPergunte a uma Mulher
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana

Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia


COMENTÁRIOS